menu

Maranhão

04/02/2016


Rede hoteleira pode ter ocupação abaixo do esperado

Os hotéis em São Luís já se preparam para a chegada dos turistas que vêm curtir a maior festa popular do país, o carnaval. Embora alguns estejam desanimados, outros estão com boas expectativas para o período. A equipe de reportagem de O Imparcial entrou em contato com dois hotéis da cidade, que explicaram suas situações em relação ao período carnavalesco. Segundo o agente de reservas do Hotel Grand São Luís, localizado no Centro Histórico da capital, Bruno Carvalho, a procura pelas hospedagens está pequena e a expectativa, até o carnaval, não é das melhores. “Olha, as expectativas não são das melhores, já tivemos bem mais procuras durante o ano, mas agora para o carnaval, que deveria ser maior, está péssima. Não é algo muito contagiante”, lamentou.

De acordo com Bruno Carvalho, a procura em porcentagem para o período carnavalesco gera uma estimativa de 25% a 30%, muito abaixo do esperado. Em relação ao réveillon, a pesquisa foi bem maior, com um resultado de 80%. “Ao contrário do réveillon, o carnaval está tendo muita diferença. Acho que pra todos os hotéis foi bom no final do ano, superou as expectativas. Agora para a nossa realidade, não está agradável para o que esperávamos do carnaval”.
A preocupação dos empresários da rede hoteleira é grande, e, com a crise atual, pode ficar bem pior. “A crise, querendo ou não, influencia bastante. É um ponto em que muitas pessoas, hoje em dia, pensam bastante antes de realizar qualquer gasto”, observa o agente. Ele explica que as diárias, em comparação com os outros hotéis de boa estrutura, estão bem em conta, e que fazem de tudo para chamar a atenção dos clientes. A diária mínima no Hotel Grand São Luís é de R$ 160.

Reservas esgotadas

Enquanto uns se reclamam, outros tiveram a sorte de comemorar. É o caso do Brisa Mar Hotel, localizado na Ponta d’Areia. De acordo com a encarregada de reservas, Rosana Melo, as reservas já estão quase esgotadas. “Tivemos muita sorte em meio a essa crise, pois nossas reservas já estão quase que esgotadas para o carnaval, não foram todos que deram essa sorte. No ano passado também zeramos todos os quartos e, este ano, creio que não será diferente”, comentou. O hotel também tenta chamar a atenção dos clientes organizando promoções e o conhecido baile de carnaval do hotel, o Baile da Laje. Segundo a encarregada, tudo isso contribui para atrair hóspedes.
Os valores das diárias individuais e pacotes em grupos variam de R$ 80 a R$ 2.340, dependendo do porte do meio de hospedagem. Ainda há vagas em alguns estabelecimentos, mas é importante que os interessados confirmem logo suas reservas. Alguns hotéis já estão com mais de 50% de reservas confirmadas, porém, a maioria deles está esperando mais clientes.
Setor hoteleiro oferece promoção para sair da crise
De acordo com o vice-presidente do Sindhotéis e gerente-geral do Rio Poty Hotel, Armando Ferreira, o sistema hoteleiro do Maranhão está em baixa e, por esse motivo, estão oferecendo algumas promoções. “A ocupação hoteleira neste ano tem feito, em relação há três anos, quase 25% menos do que deveria fazer para obter lucro. Com isso, estamos desenvolvendo algumas promoções para atrair mais pessoas”.
Segundo ele, os hotéis que estão na orla marítima têm maior procura para o período carnavalesco. A exemplo do Rio Potty Hotel, que está com previsão de 65%, mas apostam ao menos 60% do esperado. “Estamos torcendo para chegar pelo menos nos 60% do esperado. Os hotéis pequenos, que ficam na Avenida Litorânea com cerca de 30 apartamentos, têm mais possibilidade de lotar, já os hotéis grandes, que têm cerca de 150 apartamentos, nenhum desses irão atingir seu objetivo com uma ocupação grande no carnaval. Infelizmente.”
Para Armando, o que pode estar afetando ainda mais essa procura pelo carnaval em São Luís é a falta de divulgação da própria cidade, enquanto turística, e isso acaba afetando também a rede hoteleira como um todo. “O carnaval de São Luís nunca teve uma divulgação tanto quanto outras festas, a exemplo do São João, e além de não ter divulgação sobre os nossos atrativos e nosso potencial, nunca teve incentivo. Então, resultado disso, outros estados como Pernambuco, Alagoas, Ceará, Natal e vários outros saem ganhando do Maranhão, pois estão há seis meses fazendo uma divulgação pesada, e os hotéis nesses lugares estão previstos a ter 90% de ocupação, que é uma coisa invejável para todos daqui. Todos nós sabemos que São Luís tem as piores praias, o volume de poluição é máximo, e enquanto isso, estamos perdendo clientes. Nesta época do ano que era pra ser bem cheio, está assim. Esperamos que melhore”, disse ele.

O Imparcial

Notícias relacionadas