menu

Brasil

29/06/2017


Revista NORDESTE: Argentina, beleza e história

exclusivo

País volta a ser point de brasileiros que buscam a neve, o tango e a cultura de uma nação que já foi considerado a Europa da América Latina

A República Argentina é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população. É o oitavo maior país do mundo em área territorial. É a maior das nações de língua espanhola. Tem Buenos Aires como capital do país. Uma nação que faz fronteira com o Paraguai, Bolívia, Brasil, Uruguai e Chile. As questões fronteiriças são delicadas. O país reivindica uma parte da Antártida, e as Ilhas Malvinas – o que rendeu uma guerra entre a Argentina e a Inglaterra durante a ditadura militar, em 1982. A guerra resultou na morte de 649 soldados argentinos, 255 britânicos e 3 civis das ilhas. Também são reivindicadas as ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul. Todas são administradas pelo Reino Unido como territórios britânicos ultramarinos.

A Argentina se tornou estado como uma colônia espanhola em 1776. A independência aconteceu em 1818 e foi seguida por uma longa guerra civil que durou até 1861. Ao final da disputa, foi feita a reorganização do país como uma federação de províncias, com a cidade de Buenos Aires como capital. Durante a segunda metade do século XX, a Argentina enfrentou vários golpes militares e períodos de instabilidade política, juntamente com crises econômicas periódicas. As crises foram minando o seu desenvolvimento econômico que até o início dos anos 80 parecia ser pleno, tanto econômico, quanto social.

O desenvolvimento avançou fortemente com o grande número de imigrantes que aportaram. A Argentina recebeu 6 milhões de estrangeiros entre o final do século XIX e a primeira metade do século XX. A maior parte italianos, espanhóis, franceses e poloneses. Em 1914, os estrangeiros chegaram a compor 30% da população da Argentina e 60% dos habitantes de Buenos Aires. Ainda hoje o país mantém uma alta classificação no Índice de Desenvolvimento Humano – fica em 45ª posição, o Brasil está na 79ª (dados de 2015). Pelo seu desenvolvimento e beleza, o país já foi considerado a Europa da América do Sul. A Argentina deu ao mundo autores famosos como Jorge Luís Borges, Júlio Cortázar, Manuel Puig, Ernesto Sabato. Compositores e cantores como Astor Piazzolla, Mercedes Sosa, Carlos Gardel. Jogadores como Maradona e Lionel Messi, personalidades irreverentes como Mafalda, do cartunista Quino, Eva Peron (a Evita), o guerrilheiro, escritor, jornalista, político e médico, Che Guevara e o Papa Francisco. A lista é imensa, claro!

Hoje o país é considerado uma potência média, reconhecida como uma das maiores economias da América do Sul.
 

A formação diferenciada na terra de Gardel

Entre as belezas da Argentina estão pontos turísticos imperdíveis como a Calle Florida, a cidade de Mendoza, a cidade de Salta, Mar del Plata, Valle de La Luna, a Patagôni, Bariloche e a Terra do Fogo. Mas o país oferece muito mais para o turista. A seguir algumas descrições de sugestões dadas pela blogueira Juliana Pires Bragança e pela Revista NORDESTE.
A Calle Florida é um dos principais pontos turístico visitados pelos brasileiros. É indicada para quem deseja fazer compras em Buenos Aires, mesmo não sendo o local mais barato para isso. A rua é importante também porque fica perto das principais casas de câmbio, além da Galeria Pacifico, que também é bem procurada. Ainda em Buenos Aires, o turista deve conhecer Puerto Madero. Conhecido como o bairro mais rico e novo de Buenos Aires, Puerto Madero tem lindas ruas e uma arquitetura moderna. Lá fica a Puente de la Mujer, um dos cartões postais da cidade, também a Reserva Ecológica e o Parque Mujeres Argentinas. O bairro também tem ótimos restaurantes, ainda que caros. O turista também não pode deixar de ir numa milonga, espécie de salão de baile, a grande atração para quem quer ver de perto o que é que o portenho tem! As milongas se aproximam mais das nossas rodinhas de samba. São espaços modestos que reúnem gente que quer aprender ou praticar o ritmo célebre da Argentina, o tango.

Outro passeio imperdível está na esquina das ruas Chile e Defensa, a esquina mais famosa de San Telmo. Lá “vive” Mafalda, uma garotinha contestadora, que hoje tem mais de 50 anos. A personagem que surgiu para o grande público em 29 de setembro de 1964, na revista de humor “Primera Plana”, e nunca mais deixou o imaginário popular, representa um misto de saudade e alegria.

Há ainda o Temaikén, um bio-parque que ocupa uma área de 34 hectares (equivalente a 48 estádios de futebol) e está localizado na cidade de Escobar, a 50 km do centro de Buenos Aires. Foi inaugurado em 2002 com com o objetivo de combinar num só lugar aquelas atividades normalmente encontradas no Jardim Zoológico, Jardim Botânico, Aquário e no Museu de Ciências Naturais.

Saindo de Buenos Aires, chegamos a cidade Mendoza, ao lado da Cordilheira dos Andes. Mesmo ficando no meio do deserto, ela é arborizada. Além da Cordilheira, as bodegas são um delicioso atrativo da cidade, que também possui ótimos restaurantes, museus, praças e cervejarias. Existe ainda um circuito de esportes radicais como rafting e escalada. Em alguns dos passeios é possível chegar até o pé do Aconcágua. Outra cidade que o turista deve conhecer é Salta. A cidade de Salta fica a mais de mil metros de altitude, tem muito verde e preserva suas ruas estreitas e casas no estilo colonial, por isso é conhecida como “la linda”. O centro da cidade possui a Plaza 9 de Julio e três museus que podem encher o seu dia de cultura e história local. Além disso, perto da cidade há o famoso ponto turístico Salar de Arizaro, com o Cone de Arita, considerado o mais perfeito do mundo. Na cidade também tem algumas vinícolas, porém com menor produção se comparado à Mendoza.

Mar del Plata já foi muito frequentada pela aristocracia argentina no século XX, mas atualmente não tem o mesmo glamour. Contudo continua sendo prazeroso passear pela orla da praia, ou “rambla” como eles chamam, e visitar a praça central da cidade, que conta com uma estátua de um grande lobo marinho, símbolo da cidade. Além disso, a arquitetura de Mar del Plata tem antigas construções, lindas e gigantescas casas que ainda permanecem dando o toque antigo para a cidade. 

Há ainda o Valle de la Luna, na região de Cuyo, no centro oeste do país. Oficialmente conhecido como Parque de Ischigualasto, o local tem vários tipos de formações geológicas, desde grandes penhascos, torres de pedra, cânions e até mesmo um campo aberto com várias esferas de pedra que parecem ter sido polidas pelo homem. Para quem deseja conhecer o local, é recomendável se hospedar na vila de San Agustín del Valle Fertil, que fica a 80km de distância do Valle de la Luna. Um ponto de turismo para quem quer escapar e relaxar. Outros dois pontos de interesse para o turista são a Patagônia e a Terra do Fogo. O passeio mais procurado da Patagônia é visitar a Península Valdés ver as orcas, leões-marinhos, pinguins e uma grande extensão de lindas praias desérticas. Também é possível nadar com os golfinhos nas águas cristalinas do Oceano Atlântico. Já na Terra do Fogo, ainda na Patagônia, os turistas podem ver neve. Sua capital, Ushuaia, é a cidade mais meridional do planeta, com temperatura média de 10ºC no verão. Ushuaia conta com a prática de ski e snowboard, além de visita a parques, passeio de barcos e visita ao Museu do Fim do Mundo. Para quem que ver neve, também há a cidade Bariloche, na província de Rio Negro, junto à Cordilheira dos Andes, na fronteira com o Chile. A cidade é rodeada por lagos e montanhas e já foi queridinha dos brasileiros na década de 80. 

Notícias relacionadas