menu

Brasil

01/11/2016


Revista NORDESTE: Ceará foca ações no turismo

Por Paulo Dantas

O PIB do Ceará saiu de R$ 96,8 bilhões, em 2012, para R$ 108 bilhões em 2013. Apesar disso, hoje a Indústria, a Agropecuária e o setor de Serviços estão em queda.

A indústria já vinha num processo de redução da sua produção, tendo apenas a Construção Civil se desenvolvendo relativamente bem – o programa Minha Casa, Minha Vida era uma das forças motrizes desse bom desempenho. A Agropecuária, devido uma seca que dura cinco anos, também apresenta dificuldades. O setor que vinha segurando a economia, inclusive fazendo com que o estado crescesse acima da média nacional, era o de Serviço. Algumas com relação direta ou indireta com o turismo – hospedagem e alimentação – continuam em crescimento.

Tradicionalmente Fortaleza é a região que recebe o maior número de turistas. Isso vem sendo intensificado após a construção do Centro de Eventos do Ceará, que em termos de estrutura é o segundo maior da América Latina, perdendo só para o Anhembi em São Paulo. O turismo tradicional é forte com o movimento tanto no litoral leste como no oeste em praias como Jericoacoara, Canoa Quebrada, Morro Branco e Iguapé. O Estado está construindo também o quinto maior aquário em volume de água do mundo, com 15 milhões de metros cúbicos, na praia de Iracema. O equipamento deve se aliar ao Beach Park que já atrai 1,3 milhão de pessoas por ano, alavancando ainda mais o setor. O turismo religioso é forte no estado, especialmente em Juazeiro do Norte, na cidade do Padre Cícero, assim também como em Canindé, com o culto a São Francisco de Assis e onde tem a maior romaria da América Latina e a segunda maior do mundo. A iniciativa privada, especialmente o capital europeu, liderado por espanhóis, portugueses e italianos, tem escolhido diversas regiões na zona litorânea para construir resorts, hotéis e pousadas.

O parque industrial do Ceará acelerou o processo de interiorização partir da década de 90 devido aos incentivos fiscais, investindo em áreas tradicionais como calçados e indústria têxtil. Assim, a região do Cariri é considerada polo calçadista da região, chegando a disputar diretamente com concorrentes nacionais e até internacionais. A Grendene, a maior exportadora de calçados do Brasil e uma das maiores do mundo, tem unidades instaladas em Sobral, Crato e Fortaleza. O Ceará é dos estados que mais exporta pares de sapatos no país, juntamente com Pernambuco e Alagoas. . O governo vem desenvolvendo novos projetos, entre eles, o Parque Eólico, investimentos na Energia Solar e na indústria farmacêutica – que está se instalando na região metropolitana de Fortaleza.
O agronegócio se concentra na produção de frutas e tem se expandido em regiões irrigadas. Isso facilitou a plantação e exportação de melão e outras frutas. O estado é o 6º produtor nacional de frutas; o 1º produtor de caju, o 2º de coco, maracujá e melão, e o 3º de mamão.

Todavia, é a fruticultura irrigada de alta tecnologia que detém os números mais expressivos da agricultura, tornando o estado o 3º maior exportador brasileiro de frutas frescas. O setor gera 21,6 mil empregos diretos, sendo plantados em 6 polos de irrigação: Ibiapaba, Baixo Acaraú, Metropolitano-Curu, Baixo Jaguaribe, Centro Sul e Cariri. Há ainda na Serra de Ibiapaba forte produção de flores.  

PIB da Ceará – IBGE (2013)

R$ 108,7 bilhões

Participação no PIB Nacional

2,05%

Participação no PIB per capita

R$ 12.393,39 

Notícias relacionadas