menu

Entrevista Exclusiva

24/01/2020


NORDESTE traz avaliação do fundador da CVC sobre Turismo; veja

Na entrevista, ele explica ao publisher Walter Santos a demanda inferior do turismo brasileiro em relação à Europa e diz como estamos e quais as perspectivas de futuro.

A Edição de N° 156 da Revista Nordeste traz nessa semana uma entrevista exclusiva do publisher Walter Santos com o fundador da mega operadora de viagens CVC Brasil, Guilherme Paulus. Nela, ele explica a demanda inferior do turismo brasileiro em relação à Europa e diz como estamos e quais as perspectivas de futuro.

 

Confira:

 

O FUNDADOR DA CVC EXPÕE A REALIDADE DO TURISMO NO MUNDO, BRASIL E NORDESTE

 

O turismo brasileiro resiste apesar de tudo. Esta é a síntese exposta pelo empresário e reconhecido estrategista de turismo, Guilherme Paulus, nesta entrevista na qual analisa e pontua a realidade do mercado brasileiro em relação ao conjunto internacional na qual ele justifica quantidade menor que Portugal, Espanha e França , ao mesmo tempo avalia a atuação do Ministério do Turismo e Embratur. Leia a seguir:

 

Revista NORDESTE – Levando em conta a estrutura e interferência do turismo no mundo, qual o tamanho econômico – financeiro global a dados de hoje?

 

Guilherme Paulus: O turismo movimentou 1.4 bilhão de pessoas em 2017 e 2018, sendo que o número de turistas internacionais aumentou em 7% e 6%, respectivamente, o que representa 10% do PIB mundial. Em 2019, houve uma leve desaceleração sobretudo pelo enfraquecimento da economia mundial. Chegou a 4% de aumento.  Em números, chegamos a 1.5 bilhão de chegadas de turistas internacionais em 2019, de acordo com dados da OMT (Organização Mundial do Turismo). As pessoas têm desejos de novas experiências, têm desejo de conhecer a Muralha da China, as incríveis atrações de Dubai, tem os cruzeiros marítimos que considero o turismo mais completo que existe. Você conhece várias cidades com a mesma mala, vários portos, culturas diferentes. Viajar nunca sai de moda.

 

NORDESTE – O Sr. como expert reconhecido, que justificativa o Sr apresenta para o Brasil estar com tamanho no turismo bem abaixo de países como Portugal, Espanha e França? O que falta ao Brasil? Recentemente o país sediou Copa do Mundo, Olimpíadas, etc, mesmo assim nossa posição do ranking  internacional está aquém…

 

Guilherme Paulus: Nós registramos anualmente 6 milhões de turistas estrangeiros, esse número não aumenta tanto pela pouca oferta de aéreas para o Brasil. E não há como comparar com destinos tão consolidados no mundo como a França, Espanha e Portugal, a Europa é muito forte no turismo, o turismo interno em Portugal é muito forte também, a Alemanha cresceu muito, Berlim é um destino campeão. Mas a Embratur tem feito um trabalho espetacular para divulgação do Brasil no exterior. Nós devemos crescer em 1 milhão de turistas este ano. Nossa estrutura de aeroportos melhorou muito. É o caso de Fortaleza, Foz do Iguaçu, Salvador, Florianópolis, entre outros.

 

NORDESTE – No mercado turístico o Sr consolidou uma marca reconhecida como a CVC num mundo hoje concorrendo com a inteligência artificial. Como sobreviver com a nova realidade e cultura de negócios no setor? Até quando as agências de turismo vão sobreviver, e como, com a internet das coisas produzindo negócios na área em maior velocidade? Na sua opinião, que modelo de profissional de Turismo vai resistir e se manter no mercado sempre?

 

Guilherme Paulus: As lojas físicas sempre vão existir, as pessoas precisam do cara a cara, questão “tirar férias” precisa de um especialista, um consultor de viagens e a evolução digital é importante, facilita a reserva de um apartamento, por exemplo, mas para uma viagem completa é imprescindível a ajuda de um agente de viagens. O agente de viagens do futuro será o consultor de viagens, ele cuida de tudo, do check-in ao check-out com personalização da viagem e experiências cada vez mais exclusivas.

 

NORDESTE – Qual o tamanho do turismo nos 9 estados nordestinos e sua participação no PIB do setor nacional? onde avançamos e/ou precisamos melhorar?

 

Guilherme Paulus: Sol e mar são as grandes atrações do nosso Nordeste, que representa 3% de evolução do PIB nacional, somente a CVC movimentou 4 milhões de turistas em viagens internas, especialmente para o Nordeste, que continua no top 5 dos destinos mais procurados pelos turistas brasileiros. Porto Seguro, Salvador, Maceió, Natal, Fortaleza, Recife, são imbatíveis quando o assunto é o turismo interno.

 

NORDESTE – Como o Sr acompanha e analisa às políticas oficiais do Governo Federal ( ministério e Embratur) na conjuntura e o que precisa reparar?

 

Guilherme Paulus: O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, vem fazendo um excelente trabalho com o potencial e com as limitações que tem em mãos. O turismo cresce anualmente no país, se tornou presente, atuante, com reuniões produtivas em Brasília. O Gilson Machado Neto, presidente da Embratur, vem fazendo um trabalho brilhante na divulgação do Brasil no exterior, é um homem verdadeiro, um grande conhecedor do Nordeste como um bom pernambucano. E tudo isso é um conjunto de ações já iniciadas desde a gestão do Vinicius Lummertz, um grande entusiasta do nosso setor.

 

NORDESTE – Objetivamente, como a violência tem afetado o turismo no Rio de Janeiro, da mesma forma o vazamento de óleo no litoral nordestino?

 

Guilherme Paulus: A violência existe no mundo todo, nossa performance em 2019 já melhorou muito comparando com 2018, só precisamos de criação de novas zonas de segurança em locais de grande movimentação turística. Já funciona assim nas principais atrações turísticas mundiais. Em relação ao óleo, foi uma fatalidade, um acidente sem precedentes que ainda buscamos respostas. Acreditamos na justiça e nas investigações sobre o que provocou esse trágico problema para o Nordeste. Vale ressaltar o trabalho incansável dos moradores de todas as regiões do Nordeste, as associações de hotéis, os convetions bureaus das cidades atingidas. O nordestino literalmente colocou a mão na massa e recuperou as belezas do nosso litoral em tempo recorde.  O próprio ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, esteve em Porto de Galinhas, entrou na água, deu apoio, assim como o apoio fundamental do trade, como o Otaviano Maroja e outros amigos que se juntaram em prol dessa causa.

 

NORDESTE – O Sr é palestrante em evento da ADVB PE discutindo estratégias como estudantes de Caruaru. O que o Sr vai dizer de diferente?

 

Guilherme Paulus: Vamos motivar o jovem para a questão do empreendedorismo, de acreditar naquilo que a gente gosta, que o sucesso é uma consequência de muito trabalho, de mais transpiração do que inspiração. Vamos falar de história, de casos interessantes, do crescimento histórico da CVC e da GJP, da contribuição do turismo para a economia.

Notícias relacionadas