menu

Brasil

20/10/2016


Revista NORDESTE traz relação das melhores universidades da região

Exclusivo

Melhores Universidades do Nordeste

Nordeste possui algumas das melhores universidades do Brasil, com destaque as federais e públicas; saiba quais são

Por Jhonattan Rodrigues

No Brasil do início do século passado, para boa parte da população o letramento era um sonho distante. O direito aos estudos e ao conhecimento era um luxo oferecido apenas às famílias mais abastadas e com boa posição social. Para as camadas mais pobres, frequentar algum curso superior, então, era algo que nem se passava pela cabeça. Para se ter uma ideia, à altura da inauguração da primeira universidade do país, a Universidade de Manaus, em 1909, a taxa de analfabetismo entre a população brasileira com mais de 15 anos era de 65,3%¹.


Ao longo do século, programas de alfabetização massiva para adultos, como o Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral), ainda que oferendo um letramento limitado, conseguiu diminuir os números do analfabetismo no país. Em paralelo, o número de Instituições de Ensino Superior (IES) seguiu aumentando. A partir dos anos 2000, houve um salto expressivo na área. Até 2013, o número de IES’s no país aumentou 102,6%, sendo 108,2% privadas e 71% públicas².
Além do aumento de instituições, políticas públicas de inclusão como o sistema de cotas, o FIES e ProUni aumentaram também a chance do brasileiro obter formação superior. No Nordeste o número de alunos matriculados chega a 1,3 milhões, distribuídos nas cerca de 432 IES’s da região. Em 1998, eram 124³.
A quantidade aumentou, mas e a qualidade? No levantamento de 2016 das 200 melhores universidades da américa latina, feito pela britânica QS University Rankings, uma das principais consultoras na área, estavam inclusas 13 universidades nordestinas. A primeira a aparecer, na 44ª colocação foi a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), seguida da Universidade Federal da Bahia (UFBA) (69ª), Universidade Federal do Ceará (UFC) (87ª), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (105ª) e Universidade Federal da Paraíba (UFPB) (113ª). No ranking 2015 da Folha de melhores universidades brasileiras, a UFPE ficou em 10ª lugar, e novamente a primeira entre as do Nordeste, seguida pela UFC, UFBA, UFRN e UFPB.


Estas listas levam em consideração pontos como a reputação das universidades no meio acadêmico, número e titulação de professores por aluno, pesquisas, publicações e até desempenho de ex-alunos no mercado.


No Brasil, o órgão responsável por fazer as pesquisas de qualidade das graduações de IES é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixiera (Inep). Para fazer essa análise o Inep se baseia em três indicadores principais: o Conceito Enade, que é obtido através do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), feito trienalmente com estudantes concluintes das diversas áreas do conhecimento; o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que é calculado a partir dos resultados do Enade, em conjunto com uma avaliação do corpo docente, infraestrutura, etc; e o Índice Geral de Cursos (IGC), calculado através da média do CPC do ano atual e dos dois anteriores, atribuindo uma nota de 1 a 5, tendo de receber nota 3 para ser considerada satisfatória e acima de 4 para ser excelente. Com base nos resultados obtidos pelo Inep, o Mec pode autorizar a abertura de novos cursos ou seu fechamento.


Para quem sempre se perguntou ou ignorava haver distinção, universidades e faculdades são instituições diferentes. Faculdades geralmente oferecem cursos dirigidos à uma área, como medicina, engenharia ou filosofia e oferecem pós graduação lato sensu, ou seja, especializações: cursos com menor tempo e que, ao final, expedem certificado, e não diploma. A universidade é uma instituição que oferece graduação em diversas áreas do conhecimento, existindo nela diversas faculdades. São autarquias com direito de criar cursos novos e abrir centros sem necessidade de autorização direta do MEC. Quanto a pós graduação, universidades são obrigadas a oferecer cursos stricto sensu (mestrado ou doutorado) – estes sim, dão direito a diploma. Outro ponto importante é a tríade ensino-pesquisa-extensão que apenas a universidade oferece, dando oportunidade aos alunos de graduação ingressarem em pesquisas e programas de iniciação científica, tendo também o dever de promover projetos que saiam dos muros acadêmicos e atinjam a sociedade. Estes pontos tornam a universidade uma instituição mais completa e complexa, por isto mesmo os rankings mundiais acabam por focar nelas. O Inep também analisa faculdades privadas. As com melhores notas do Nordeste são: Instituto Superior de Educação do Ocidente (BA), Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec (BA), Faculdade Eustácio da Paraíba (PB), Faculdade Unime de Ciências Jurídicas (BA) e Faculdade Farias Brito (CE).


Porém, a lista feita pela Revista Nordeste leva em consideração as instituições que obtiveram melhores notas no Índice Geral de Cursos do Inep, com notas de 3 acima e com foco nas universidades, tanto por serem mais completas e oferecerem saber tanto acadêmico quanto mercadológico, tanto por serem mais facilmente encontradas em listas de melhores do mundo. A estadual melhor colocada no Nordeste é a Universidade Federal do Ceará, com IGC 3,0.
A lista a seguir, apesar de ranqueá-las, busca não colocar as instituições em níveis de inferioridade ou superioridade.
 

UFPE, uma das mais antigas universidades do Nordeste

A Universidade Federal de Pernambuco é uma das maiores e mais tradicionais instituições de ensino superior da região nordeste e do país, com reconhecimento em diversas áreas. É mais antiga instituição com o título de universidade no Nordeste, ao lado da Universidade Federal da Bahia, fundada no mesmo ano. Assim como diversas outras universidades, foi formada a partir da junção de faculdades pré-existentes, como a Faculdade de Direito do Recife, de Medicina, de Belas Artes e Filosofia, ainda sob o nome de Universidade do Recife, sendo 19 anos depois integralizada ao sistema de instituições federais do país.
A partir de então, a universidade só fez crescer e se tornou um gigante de sua região. Em 2015, 22 cursos da UFPE receberam cinco estrelas – considerado resultado excelente – no Guia do Estudante da Editora Abril. Ficou em 12ª lugar no Ranking Universitário feito pela Folha, bem como em 44ª no ranking de melhores universidades da América Latina da QS World.
Ao todo, a UFPE oferece 100 cursos de graduação presenciais regulares: 83 cursos de graduação no campus Recife, 11 em Caruaru e 06 em Vitória de Santo Antão, nos quais estão matriculados 30.678 alunos, e nos quais lecionam 2.834 professores, 79,84% destes com doutorado. Oferece ainda 5 cursos de graduação a distância; 133 cursos de pós-graduação stricto sensu, sendo 71 Mestrados Acadêmicos, 11 Mestrados Profissionais e 51 Doutorados. Há ainda 56 cursos de pós-graduação lato sensu (especializações

UFC, primeira colocada na nota geral

No ranking de melhores universidades do país da Folha, de 2016, ocupa a 10ª posição, sendo a primeira colocada entre as nordestinas na nota geral, assim como nos quesitos pesquisa e internacionalização, tendo subido uma posição em relação a 2015; no ranking da QS World de melhores universidades da América Latina figurou na 87ª posição, ficando atrás apenas da UFPE em nível regional.
Segundo dados da instituição de 2014, a UFC oferece 103 curso de graduação, sendo 48 de especialização, 67 de mestrado e 43 de doutorado, no qual estão matriculados um total de 27.916 alunos, divididos entre os sete campi da instituição. 1.955 professores lecionam na UFC, sendo 1.424 com titulação de doutor e 430 com titulação de mestre. A instituição possui 17 bibliotecas, totalizando 186.859 títulos e 503.176 exemplares.
A função de uma universidade é além de ensinar, produzir saber científico. E UFC cumpre seu papel, com 1.989 artigos publicados em periódicos, com destaque para as áreas de Ciências, Medicina e Ciências Agrárias, com 389, 369 e 320 artigos publicados, respectivamente.
Em Fortaleza, os três campi ocupam uma área total de 233 hectares. Também está ligada a UFC alguns equipamentos importantes para a memória cultural do Ceará, concentrados no espaço chamado Sítio Alagadiço Novo, em Messejana, abrigando a Casa de José de Alencar, ruínas do primeiro engenho a vapor do Ceará, Museu Arthur Ramos, Pinacoteca Floriano Teixeira, Biblioteca Braga Montenegro e um restaurante.

UFRN, melhor curso de medicina no Nordeste

No ranking da QS World de melhores universidades da América Latina de 2016 a UFRN teve um crescimento impressionante em relação a 2015: saltou da 113ª posição para 104ª, subindo também dois lugares no Ranking Universitário Folha, ficando na 23ª colocação. Além disso, o relatório do INEP de 2014 arquitetura e urbanismo apresentou o melhor CPC do Brasil, com nota 4,3590. Segundo o Guia do Estudante de 2015, o curso de Medicina da UFRN é o melhor do Nordeste.
A UFRN oferece 102 cursos de graduação presencial e 11 à distância; 72 de mestrado, 37 de doutorado, 56 especializações e 47 de residência médica e multiprofissional. São 30.799 alunos matriculados nos cursos de graduação presencial e à distância, enquanto na pós-graduação são 10.039. Lecionando nos cursos de graduação são 2.060 professores, sendo 1.630 doutores, 302 mestres, 115 com especialização e 13 graduados.
A universidade mantém em Natal o museu Câmara Cascudo, que abriga acervo sobre a história etnográfica, arqueológica e paleontológica potiguar, o Museu de Ciências Morfológicas e ainda o Museu do Seridó, em Caicó.

UFBA, melhor arquitetura e ubanismo

A história da UFBA começa ainda no século XX, com a construção da primeira faculdade de medicina do Brasil. Em 1946, a partir da união de outras faculdades é fundada a UFBA. A universidade construiu uma história a partir de seu tradicionalismo, mas não ficou parada no tempo. A UFBA conquistou um lugar entre as melhores da região e do país. A QS World a colocou em 69ª entre as melhores universidades da América Latina, enquanto no Ranking Universitário Folha ficou na 14ª posição. Em Salvador fica a sede e mais três campi: Canela, Federação e Ondina, mais um em Vitória da Conquista e em 2011 foi anunciado a construção de um campus em Camaçari. Além disso, o Guia do Estudante de 2015 elegeu o curso de Arquitetura e Urbanismo da UFBA como o melhor do país.
Possui 99 cursos de graduação em seus dois campi em Salvador (sede) e em Vitória da Conquista. Ao todo, são 33.177 alunos matriculados, nos 99 cursos de graduação oferecidos pela universidade. Na pós graduação, são 12 mestrados profissionais, 63 mestrados acadêmicos, e 50 doutorados, onde estão matriculados 5.317 alunos. Possui ainda 2.337 professores, sendo 1.771 com doutorado, 469 com mestrado, 46 com especialização e 51 com graduação. O sistema de bibliotecas é composto por 22 centros, totalizando 247.292 títulos. A instituição mantém ainda o Museu de Arte Sacra, inaugurado em 1959 e instalado em um convento construído no século XVII, tombado pelo IPHAN e contando acervo raro de diversos artefatos seiscentistas e de outros séculos.

UFPB, 5ª melhor universidade pelo Inep 

No Ranking Universitário Folha 2016, assim como na lista de melhores universidades da América Latina da QS World, do mesmo ano, a UFPB subiu duas posições em relação à lista de 2015, ficando em 26ª e 113ª lugar, respectivamente. Pelo Inep é considerada a quinta melhor universidade do Nordeste com nota IGC 3,3.
Na instituição, estudam 44.730 alunos, sendo 31.123 na Graduação Presencial, 4.776 na Graduação a Distância e 8.831 na Pós-Graduação. São 4.978 stricto sensu e 3.853 lato sensu. O corpo docente é formado por 2.533 professores, sendo 2.435 efetivos e 98 substitutos. Do total de docentes efetivos, 1.751 são doutores, 596 mestres, 64 especialistas e 24 graduados.
Na graduação, a UFPB oferece 138 cursos, sendo 127 presenciais e 11 a distância. Já na pós, são 127 Cursos, sendo 20 de Especialização, 58 de Mestrado Acadêmico, 11 Mestrado Profissional e 38 de Doutorado.
O sistema de bibliotecas é formado por uma Central e 14 Setoriais. Mantém os teatros Lima Penante, em João Pessoa e Minerva, em Areia. E ainda o Núcleo de Arte Contemporânea (NAC).

UFERSA, melhor aprovação no exame da OAB

Aproximadamente 10 mil alunos ativos na graduação, pós-graduação, presenciais e não presenciais.
A instituição possui 43 cursos de graduação, 17 programas de pós-graduação, com 15 mestrados e 3 doutorados.
O corpo docente é composto por 629 professores, dos quais 377 têm título de doutor, 234 têm o título de mestre e 17 com especialização.
O curso mais concorrido foi Medicina que em 2016 teve1.129 candidatos para uma vaga. O Sistema de Bibliotecas da Ufersa conta com a Biblioteca Central em Mossoró e outras 3 Bibliotecas setoriais, uma em cada campi. Em Mossoró são 22.200 títulos e 60.484 exemplares. Em Angicos, 1.285 títulos e 6.824 exemplares. Em Caraúbas são 823 títulos e 7.128 exemplares. Em Pau dos Ferros são 647 títulos e 7.621 exemplares.
Na universidade o curso de direito é que tem se destacado. O curso ficou no topo do ranking nacional da OAB com o maior índice de aprovados no último exame da ordem, 85% .
O campus central, localizado em Mossoró, possui 724.656m² ou 72,465 hectares de área urbanizada. Há projeto de abrir um novo campus na cidade de Assú, mas isso depende de questões orçamentárias para a instalação. No Inep a universidade é considerada a 6º melhor.

UFCG, reconhecida na área de tecnologia

Localizada no agreste paraibano, a UFCG geralmente figura lado a lado com sua irmã litorânea, a UFPB, em lista das melhores universidades do país. Inicialmente um campus da UFPB, a partir de 2002 tornou-se uma autarquia, integrando os campi de Cajazeiras, Patos e Sousa. Atualmente estão matriculados 15.062 alunos e 2.100 na pós graduação. A UFCG oferece 95 cursos de graduação, distribuídos em sete campi – Campina Grande, Cajazeiras, Cuité, Patos, Pombal, Sousa e Sumé. A pós-graduação conta com 23 mestrados acadêmicos, 11 doutorados e dois mestrados profissionais. A UFCG ainda integra dois mestrados profissionais em Rede Nacional. Lecionam na instituição 1520 professores, sendo 61% doutores e 27% mestres.
A UFCG é reconhecida na área de tecnologia. Recentemente alunos do curso de engenharia mecânica da instituição conquistaram o segundo lugar no Prêmio Ciser de inovação tecnológica,
A biblioteca central localizada na sede, em Campina Grande possui 91 mil títulos. As outras bibliotecas espalhadas pelos campi, uma no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) – Centro localizado em Campina Grande mas não situado nas dependências do campus sede – e do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) juntas somam mais de 51 mil títulos. A universidade abriga três museus: O Museu Interativo do Semiárido (MISA) e o Museu de Gemologia no campus sede e o Museu do Homem do Curimataú, no campus de Cuité.

UNIVASF, ciências sociais e antropologia 

A universidade possui campi em três estados distintos: Pernambuco, Bahia e Piauí. A Univasf tem o Complexo Multieventos para atividades acadêmicas e um ginásio poliesportivo que integra a estrutura do Colegiado de Educação Física. Atualmente a UNIVASF possui 5.668 discentes matriculados nos cursos de graduação e 741 estudantes de Pós Graduação (Strictu Sensu e Lato Sensu; Presencial e a distância). O corpo docente é composto por 528 professores, sendo destes 299 doutores e 185 mestres.
Quanto aos cursos, são ofertados 28 de graduação dos quais 26 presenciais e dois na modalidade a distância, 10 mestrados acadêmicos e 3 mestrados profissionais. A maioria dos cursos são voltados para o meio rural, se dividindo nas áreas de Saúde, Ciências Agrárias e Engenharias, dentro das áreas estão cursos como o de Ciências da Natureza, Engenharia Agronômica, Zootecnia e Medicina Veterinária, na graduação. A universidade oferece mestrado em Ciência Animal, Engenharia Agrícola e Recursos Naturais do Semiárido. A instituição também oferece cursos em Educação Física (bacharelado e licenciatura) e Artes Visuais. O curso mais concorrido é Medicina
A melhor nota da UNIVASF foi com o curso de Ciências Sociais (bacharelado), com 3,6246. O mais novo curso da Univasf é o de Antropologia, que iniciou atividades em setembro, no Campus São Raimundo Nonato (PI). A universidade é considerada a 8º melhor universidade pelo Inep.

UFOB, laboratório moderno de física

Instituição mais recente da lista, a Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) tem apenas três anos de existência, mas seu curso de graduação de Medicina teve a maior nota de corte no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em 2016.1, com nota mínima de 889,55 pontos. No que falta em história, a universidade completa com “metodologias inovadoras que articulam ensino, pesquisa e extensão”, segundo a pró-reitora de Graduação e Ações Afirmativa, Anatália Oliveira. Foram 16.455 inscrições para as 964 vagas. A universidade ainda está se adaptando, com o restaurante universitário em construção e uma residência para os alunos, porém já conta com laboratório modernos de física, anatomia, química e ciências biológicas, com tecnologia de ponta e robôs. Além de medicina, o curso de engenharia de produção da UFOB, que tem apenas dois anos, se destacou com uma turma finalista no Desafio Lean Simulation 2016. O desafio, que é de nível nacional, consiste em estudantes utilizarem o boardgame Lean Simulation e o software de simulação FlexSim para analisar e resolver problemas relativos à área de engenharia da produção. A UFOB possui atualmente 3344 alunos matriculados, em 29 cursos de graduação, 2 cursos de mestrado e 1 curso de especialização. Até o momento, a universidade possui 3344 alunos matriculados, em seus 29 cursos de graduação, 2 de mestrado e 1 de especialização. O corpo docente é composto por 248, sendo 55% Mestres e 41% Doutores.

UFS, cursos de dança, arqueologia e arquitetura

Na Universidade Federal de Sergipe (UFS), além dos 5 campi existentes, há um em construção em Simão Dias. Vale ressaltar que das universidades desta lista é a única cuja sede não fica na capital do estado, instalada em São Cristovão, na divisa com Aracaju. Segundos dados da instituição, em 2014 estavam matriculados em todos os campi um total de 25.224 alunos, divididos em 113 opções de cursos de graduação presencial. Também são oferecidos 8 opções de curso na modalidade ensino à distância na graduação, e 52 cursos de pós-graduação, sendo 10 doutorados e 42 mestrados.
Quanto ao corpo docente, são ao todo 1.419 professores, sendo 959 doutores, 402 mestres, 33 com especialização e 25 com graduação. Ao todo são 6 bibliotecas, com um total de 76.267 títulos e 294.396 exemplares.
O campus de Laranjeiras foi inaugurado em 2009, e é conhecido como “O Campus das Artes”. Isso porque Laranjeiras é uma cidade tombada histórica e culturalmente. O campus oferece os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Dança, Museologia, Teatro e Arqueologia. A UFS mantém ainda o Museu do Homem Sergipano (MUHSE), localizado em Aracaju, onde tem um acervo com exposições voltadas para a história do povo sergipano e o Museu de Arqueologia de Xingó (MAX). O MAX expõe o resultado das descobertas arqueológicas feitas na região do Baixo São Francisco, durante a construção da Hidrelétrica de Xingó. 

Clique aqui e confira a Revista NORDESTE na íntegra

 

A revista está disponível para download para IOS e Andraoid, também gratuita

Google Play: https://goo.gl/2s38d3
IOS: https://goo.gl/WeP5eH

Notícias relacionadas