menu

Rio Grande do Norte

17/04/2017


Risco de “seca extrema” permanece sobre região central do RN

Apesar das chuvas de março, principalmente sobre as porções oeste e no litoral do Estado, a situação de risco de seca este ano no Rio Grande do Norte não está afastada. Segundo o mapa de riscos, elaborado pelo aplicativo Monitor de Secas da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), as chuvas do mês passado contribuíram para uma redução na área de seca excepcional (S4, o mais grave) e extrema (S3) para seca grave (S2) na região do oeste potiguar.

Os indicadores ainda mostram um aumento de área com seca excepcional (S4) em direção ao litoral norte. No litoral leste potiguar, os indicadores também mostram uma redução na área de seca extrema (S3) para seca grave (S2). De um modo geral, há ainda uma ampla área que permanece em com seca extrema (S3), por causa dos baixos índices pluviométricos observados.

Historicamente, o mês de março contém os maiores índices pluviométricos (acima de 300mm) para o semi-árido dos estados nordestinos. Em todo o estado do Maranhão (MA), Piauí (PI), Ceará (CE) e no oeste do estados de Rio Grande do Norte (RN) e Paraíba (PB). Na porção oeste do estado da Bahia (BA), litoral dos estados da PB e Pernambuco (PE), os acumulados variam entre 125 e 200mm. Por outro lado, os menores volumes de precipitação (inferiores a 125mm), historicamente, ocorrem na parte central da PB, em grande parte de PE, Alagoas (AL), Sergipe (SE) e em grande parte da BA.Mapa da seca

A precipitação observada, de um modo geral, no decorrer do mês de março de 2017, mostra que os índices pluviométricos mais significativos, valores acumulados acima de 300 mm, se concentraram, principalmente, no setor norte do NE, como no norte dos estados do MA, PI e CE. No centro-sul dos estados do MA e CE também houve acumulados significativos de precipitação, no entanto os valores variaram entre 150 e 250mm, aproximadamente.

Nas demais áreas do NE os totais acumulados de chuva foram inferiores a 125mm. Em algumas áreas do NE,  como no norte da BA, parte oeste de SE, todo o estado de AL, a porção oeste e leste de PE, além de uma área no leste da PB, a precipitação acumulada no período não ultrapassou os 50mm.

No que diz respeito as anomalias, foram observadas anomalias positivas em algumas áreas do norte dos estados do MA, PI e CE, onde historicamente os acumulados são elevados. Em uma área do sul da BA, também houve anomalia positiva de precipitação, no entanto a climatologia não é elevada, quando comparada com o setor norte do NE.

Nas demais áreas, as anomalias ficaram em torno ou abaixo da média histórica do período, ressaltando as precipitações elevadas registradas em áreas como no centro-sul do MA, norte do PI, centro-sul do CE, oeste dos estados de RN e da PB (entre 150 e 250mm).

Tribuna do Norte

Notícias relacionadas