menu

Brasil

27/08/2014


Rodoviários seguem mobilizados e podem parar na sexta-feira

Pernambuco

Mesmo após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) reconsiderar a decisão que suspendeu o reajuste de 10% para os trabalhadores rodoviários do Grande Recife, a categoria anunciou na tarde desta terça-feira (26) que seguirá mobilizada até o julgamento do mérito do dissídio coletivo dos trabalhadores, previsto para o dia 8 de setembro no TST. Uma nova assembleia será realizada na quinta-feira (28), onde os rodoviários decidirão sobre uma nova paralisação de advertência na sexta-feira, a partir das 16h até o fim do dia.

O presidente eleito do Sindicato dos Rodoviários, Benilson Custódio, acredita que o engajamento da classe trabalhadora e apoio da população colaboraram com a reconsideração do reajuste de 10% pelo ministro do TST em decisão liminar, mas ressaltou que a decisão não é definitiva e que os rodoviários só terão segurança quanto às conquistas após a reunião do dia 8 de setembro.

"Nada foi definido. Precisamos continuar mobilizados nessa luta", exaltou o sindicalista, durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (25), na sede do Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede Oficial do Recife (Simpere), na área central do Recife.

A assembleia promovida pelos rodoviários nesta quinta será realizada na área da antiga feira do bairro de Santo Amaro, próximo à Cruz Cabugá, em dois horários, às 9h30 e 15h30, para garantir a participação de motoristas e cobradores que trabalham nos turnos da manhã e da tarde. Diferentemente da paralisação de advertência da última segunda-feira, que ocorreu das 4h às 8h da manhã, os rodoviários irão votar pela paralisação a partir das 16h da sexta até o fim do dia.

De acordo com diretor do Sindicato dos Rodoviários, Josival Costa, a mudança de horário tem como objetivo ampliar a participação dos motoristas que trabalham à tarde e causar menos transtornos à população. "As pessoas poderão se programar melhor. Sei que nosso movimento causa transtornos para todos. Mas estamos lutando por condições justas de trabalho e contamos com o apoio dos usuários. Vamos divulgar uma carta aberta nesta quarta para explicar melhor a nossa situação", afirmou Josival.

VALE-REFEIÇÃO – Apesar de reconsiderar o reajuste salarial de 10% em nova decisão liminar divulgada nesta terça, o ministro do TST Barros Levenhagem manteve o efeito suspensivo quanto às demais cláusulas do despacho anterior, relativo a tíquete-alimentação, diárias, auxílio-funeral e indenização por morte ou invalidez, restringindo o reajuste a 6% até pronunciamento definitivo da Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) do TST. Assim, o aumento de 75% dado no tíquete-refeição concedido pelo Tribunal Regional da 6ª Região (TRT-PE) em 30 de julho continua sem valer.

"O percentual de 75%, se analisado isoladamente, pode parecer abusivo. Mas, na verdade, reflete o quanto o valor estava defasado. Os motoristas recebem R$ 171 por mês, o que corresponde a R$ 6 por dia. Ninguém consegue se alimentar bem com esse valor no Grande Recife. Por isso o TRT-PE aumentou o tíquete para R$ 300 por mês, o que representa R$ 12 por dia", argumentou a advogada dos rodoviários, Maria Rita Albuquerque. Ela acredita que o TST deverá acatar o aumento definido do TRT-PE. "Até porque 6% correspondem apenas ao índice da inflação e representa um acréscimo de apenas 27 centavos no tíquete", explica.

Sobre o reajuste de 10%, Maria Rita explicou que deverá ser pago a partir do próximo dia 5 de setembro, com retroativo a 1º de julho (data-base da categoria). "Com a reconsideração do TST, as empresas devem cumprir o reajuste, que voltou a valer até que seja anunciada a decisão definitiva", explicou. Com a reconsideração, ficam mantidos os pisos de R$ 1.765,50 para motoristas, R$ 1.141,69 para fiscais despachantes e R$ 812,13 para os cobradores.

 

(Do NE 10) 

Notícias relacionadas