menu

Pernambuco

06/07/2015


Rodoviários têm reunião de negociação com patrões

Motoristas e cobradores, em campanha salarial, participam nesta segunda-feira de uma negociação com os representantes das empresas de ônibus na sede do Grande Recife Consórcio de Transportes, no Cais de Santa Rita. "Demos o ultimato para que a classe patronal apresente uma contraproposta. Depois disso, vamos nos debruçar sobre essas propostas e chamar a categoria em assembleia para avaliar o avanço nas negociações", esclareceu Benilson Custódio, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pernambuco.

Segundo o sindicalista, dos 95 itens da pauta de reivindicações apresentada, vinte e dois foram acordados, dois excluídos e os últimos oito, ligados à questão econômica, teriam travado o processo. Os rodoviários pedem que as empresas paguem integralmente ou ao menos 50% do plano de saúde; participação nos lucros com o pagamento de R$500 a cada semestre; reajuste salarial de 30% sobre o piso,atualmente de R% 1.775 para motorista e R$812 para cobrador; equiparação salarial para que o cobrador ganhe 70% do que ganha o motorista; tíquete alimentação de R$ 12 ao dia e cesta básica calculada em R$312 pelo Dieesse para o mês de férias.

Na sexta-feira passada, um protesto realizado pelo grupo dissidente Conlutas fechou o tráfego das avenidas Guararapes e Conde da Boa Vista. Por cerca de três horas uma faixa das vias foi tomada por dezenas de coletivos enfileirados. Os condutores pararam e desligaram os veículos, fazendo com que os passageiros descessem sem prosseguir viagem. As manifestações deixaram o trânsito bastante complicado no centro do Recife.

Com carro de som, os manifestantes alegam que aumento da passagem ocorreu, mas o trabalhador não foi contemplado. Os líderes do movimento afirmam ter entregue ao sindicato patronal, o Urbana-PE, um documento para que não seja votado o dissíodio, por reajuste salarial de 30% e tíquete de R$300.

Diário de Pernambuco
 

Notícias relacionadas