menu

Brasil

01/08/2014


Salvador apresenta redução no número de homicídios em junho e julho

Bahia

O número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), em junho, teve redução de 19% em Salvador, o que representa 102 casos a menos. Na região metropolitana, houve diminuição de 7,5%, o equivalente a 62 ocorrências em relação ao mesmo período do ano passado.

Na primeira quinzena de julho, a queda no número dos CVLIs na capital ficou em 32,1% – 36 casos a menos – , enquanto na RMS o índice subiu 21,4%, com 34 registros a mais em comparação ao igual período de 2013.

Os dados foram apresentados ao governador Jaques Wagner, nesta quinta-feira (24), junto com o balanço das atividades de segurança pública na Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, durante a reunião do Comitê Executivo do Programa Pacto pela Vida, na sede do Ministério Público, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Segundo o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, o aumento do número de homicídios era registrado há dez anos e só começou a reduzir em 2011. “No ano de 2012 e em 2014, há períodos em que essa tendência de queda não foi verificada, notadamente durante as greves da Polícia Militar. Isso mostra que o Pacto pela Vida está no caminho certo, mas também que há eventos excepcionais destoantes destes resultados. Este é o nosso desafio daqui para frente”.

Copa do Mundo

Os resultados do planejamento para o período de Copa do Mundo e de pesquisas realizadas sobre o Mundial de Futebol destacaram a segurança pública na Bahia e a Arena Fonte Nova como as mais bem conceituadas do país. Para o governador, as pesquisas são um reconhecimento à organização baiana e à integração entre os órgãos públicos estaduais, municipais e federais.

“Quero externar meu orgulho e meu agradecimento a todos os que trabalharam neste processo, não apenas durante o mundial. Foi um planejamento que vem desde antes da Copa das Confederações [de 2013]”.

O secretário Maurício Barbosa informou que a segurança na Bahia durante a Copa recebeu a maior nota (9,8) em pesquisa realizada pelo site UOL. A Arena Fonte Nova foi o estádio melhor conceituado (9,7) e a consulta feita aos turistas indica que 90% deles voltariam a Salvador – a segurança foi um dos itens elogiados.

Em média, 300 mil torcedores compareceram às seis partidas realizadas na Arena Fonte Nova, cerca de 51 mil por jogo. Sobre as Fan Fests, realizadas na Barra, a estimativa é que tenham atraído público de aproximadamente 349 mil pessoas.

Ocorrências

Do total de 346 ocorrências envolvendo turistas, a maior parte foi no Centro Histórico (181), seguido da Barra, (34). Os picos de incidência ocorreram nos dias de jogos e festas de São João. No caso de furtos, 37 foram registrados em dias de jogos e 185 nos dias em que não houve partidas em Salvador. As ações contra os cambistas resultaram na apreensão de 263 ingressos que eram vendidos ilegalmente e na detenção de 70 pessoas envolvidas.

Em Salvador, houve quatro manifestações pacificas durante o período do mundial, envolvendo cerca de 360 manifestantes. “A polícia atuou apenas no primeiro dia, resultando em total segurança para que essas pessoas tivessem garantido o exercício do seu direito de manifestar”, afirmou Barbosa.

Esquema de segurança

Trabalharam no esquema de segurança 9.392 pessoas, entre servidores federais, estaduais e municipais, nas imediações da arena, nas Fan Fests e em outros eventos. “A Fifa não se responsabilizou pela segurança nas Fan Fests, como era esperado, mas nós obtivemos êxito neste trabalho”, ressaltou o secretário.

Barbosa disse que foram realizadas 1.867 atividades específicas relativas à segurança durante o evento. Entre elas, 191 escoltas da Polícia Militar da Bahia a autoridades e delegações, 114 vistorias antibombas, 258 vistorias de produtos químicos, biológicos, radiológicos e nucelares e nove vistorias do Corpo de Bombeiros.


Legado

“Além do aprendizado de trabalhar num grande evento como a Copa do Mundo, que segue protocolos internacionais, fica também de legado o investimento de R$ 93 milhões, dos quais R$ 50 milhões do Estado e R$ 43 milhões do governo federal”, contabilizou o secretário. Segundo ele, entre os equipamentos adquiridos, destacam-se a montagem do Centro de Comando e Controle no Parque Tecnológico, dois centros de comando e controle móveis e as plataformas elevadas.

O secretário avalia que a delegacia móvel, instalada na proximidade da arena, foi muito eficaz. “Apreendemos ainda um drone que capturava imagens dentro do estádio e poderia inclusive cair. Empregamos 1.198 viaturas e cerca de 300 câmeras na área da arena, além do helicóptero, que acompanhou as delegações e autoridades”.

(Governo do Estado da Bahia) 

Notícias relacionadas