menu

Brasil

31/08/2015


‘Se é inocente, Cunha deve se afastar do cargo e provar’

O deputado federal João Daniel (PT) foi o único parlamentar sergipano que assinou o manifesto pedindo o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB/RJ) da presidência da Câmara. Ele explicou que endossou tal iniciativa por entender que as denúncias feitas pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra Cunha são “muito graves”. Outros 34 deputados federais assinaram o documento.

“As denúncias que estão feitas ao presidente da Câmara são muito graves. Nós não podemos ter uma das mais importantes autoridades do poder constituído do nosso país com tantas denúncias como as que foram feitas pelo Ministério Público Federal pela PGR”, ponderou. Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o peemedebista recebeu ao menos 5 milhões de dólares em propina no esquema de corrupção da Petrobras.

“Nada melhor para o presidente da Câmara do que ele mostrar que é inocente e que não tem culpa em nada é pedir o imediato afastamento do cargo, uma vez que há na denúncia a acusação de que ele está usando a Presidência da Câmara e o Poder para fazer sua defesa. Isso é um absurdo, não podemos admitir”, frisou.

O petista ressalvou, no entanto, que o grupo de deputados que pede o afastamento de Cunha não está condenando-o. “Queremos que ele prove a verdade. Se ele diz que não tem culpa que se afaste. Quando for concluída a investigação, caso não haja comprovação de nada, ele volta e assume novamente. Mas neste momento ele não tem condições morais de presidir a Casa Federal”, reforçou. Parlamentares de oito partidos assinaram o manifesto.

Brasil 247

Notícias relacionadas