menu

Ceará

09/03/2016


Secretário minimiza responsabilidade de facções criminosas em atentados

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Delci Teixeira, minimizou a responsabilidade de facções criminosas nos 13 atentados que aconteceram na Grande Fortaleza, entre quarta-feira, 2, e o último domingo, 6. Entretanto, durante a divulgação parcial das ações realizadas para inibir e identificar os envolvidos nos ataques a prédios públicos e transportes coletivos, Delci admitiu a possibilidade de interferência de detentos nas ações.

Conforme O POVO publicou ontem, com base em entrevista com o delegado-geral de Polícia Civil, Andrade Júnior, pelo menos três detentos que estariam na mesma Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL) ordenaram a maioria dos ataques na Capital, principalmente às delegacias. O motivo seria as más condições das penitenciárias. Delci, porém, não confirma a informação.
Durante entrevista coletiva, na sede da SSPDS, no bairro São Gerardo, o secretário admitiu que há uma insatisfação dos presos, que chegam a fazer “exigências descabidas”, como reclamações pela indisponibilidade de transporte para visitas e problemas de ordem estrutural, como o acesso à água, até para banho.

Detalhou que estaria causando indignação aos detentos a transferência de internos de alta periculosidade para penitenciárias federais. Medida que, segundo afirmou, continuará sendo adotada “sempre que necessário”. Tanto que foi até Brasília, dias antes dos atentados, para tratar da agilidade nesse tipo de procedimento junto a representantes da Secretaria Nacional da Segurança Pública (Senasp) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Mas apesar de todas as declarações e de duas das linhas de investigação apontarem para o envolvimento de presidiários nas ações, o secretário afirmou que a motivação que se “sobressai” aponta para retaliação pela morte de um adolescente, após troca de tiros com policiais militares. Delci não afirmou, contudo, qual a influência teria o jovem morto no crime organizado a ponto de ter desencadeado tantos ataques.

“A existência de facções ocorre em todos os presídios. Mas dizer que eles estão dominando fora dos presídios, não chegaram a isso. Existem, realmente, ações de pessoas de dentro dos presídios que determinam algumas situações. Isso pode ocorrer, realmente. E nós estamos atentos a isso e estamos combatendo todos esses atos”, declarou.

De acordo com o secretário, a Polícia Civil ainda trabalha agora com três principais linhas de investigação, sendo elas, além da retaliação pela morte do adolescente, as remoções de traficantes para presídios federais e as prisões de outros criminosos envolvidos com o tráfico.

 

Saiba mais

Entre quarta e domingo, foram registrados 13 atentados na Grande Fortaleza. Cinco delegacias e um prédio da Secretaria da Justiça e Cidadania foram alvejados com disparos e seis ônibus e uma topique incendiados.

O delegado-geral Andrade Júnior, que também participou da coletiva, afirmou que dois presidiários, que respondem por tráfico de drogas e homicídios, estão sendo investigados por envolvimento nas ações. Além deles, Sérgio Chagas, preso na segunda-feira, seria o articulador de ataques a delegacias. Sérgio saiu de um presídio há cerca de 20 dias.

 

Os detidos

Na quarta-feira, 2, foram capturados: Michel Frank Vasconcelos da Silva, 21; Thalis Eduardo Soares Ferreira, 19; Raimundo Narcélio Nogueira Mateus, 25; e Igor de Oliveira Lopes, 20. Estes dois últimos teriam dado apoio às ações. Com o grupo, foi apreendido um carro roubado, um revólver calibre 38 e uma espingarda calibre 12.

No mesmo dia, foram apreendidos três adolescentes, com idades entre 14 e 17 anos. Juntos, os três já respondem a seis procedimentos policiais por porte de arma de fogo e roubo. Com eles foram apreendidos um galão de combustível, fósforos e um revólver calibre 32.

No domingo, 3, foram presos: Francisco Rafael Pereira Almeida, 23; Lucas Pessoa de Almeida, 38; e Ana Klaudya Fernandes de Oliveira, 26. Com ela, foram apreendidos um carro clonado, uma espingarda e um rifle, calibres 12 e 44, respectivamente.

Na segunda feira, 7, foram presos: Augusto Cesar Duarte Filho, 20; Fernando Tabosa Holanda, 22; e Sérgio Chagas da Cruz Filho, 26. Com eles foram apreendidos um automóvel, munições calibre 12, celulares e maconha.

Thiago Paiva
O Povo

Notícias relacionadas