menu

Brasil

25/09/2013


Segunda maior obra hídrica do Nordeste garantirá abastecimento para 38 cidades

PARAÍBA

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho e o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, assinaram nesta quarta-feira (25), em solenidade no Palácio da Redenção, ordem de serviço para o início da construção do segundo lote do Canal das Vertentes Litorâneas (Canal Acauã-Araçagi).
Segundo o ministro, o canal – considerado a segunda maior obra hídrica da região Nordeste, depois da Integração do Rio São Francisco -, irá garantir o suprimento hídrico para abastecimento e irrigação de 38 municípios paraibanos, atendendo a 590 mil famílias da região. “Este empreendimento vai beneficiar todo o brejo paraibano e também levará água próximo à região metropolitana de João Pessoa. Já temos 1.500 pessoas mobilizadas na obra e agora daremos início a mais uma frente de serviço, com o segundo trecho das Vertentes Litorâneas da Paraíba”, destacou Bezerra Coelho.
O investimento total é R$ 956,4 milhões, sendo R$ 875 milhões da União e o restante do valor em contrapartida do estado. Os três trechos do canal, que totalizam 112 km, vão transportar vazões de água que variam de 10 m3/s no trecho inicial a 2,5 m3/s no final. O empreendimento contempla ainda nove segmentos de canais, seis trechos em sifões, dois túneis e duas galerias de água.
O primeiro lote, com 42 km de extensão, abrange os municípios de Itatuba, Ingá, Mogeiro, Itabaiana e São José dos Ramos. Já o segundo lote, com mais de 41 km, irá até a região de Mari e Sapé. O terceiro lote terá aproximadamente 30 km de extensão e passará por Mamanguape-Araçagi.
As obras do canal empregam atualmente 1.500 pessoas entre engenheiros e operários e mobiliza cerca de 500 máquinas e equipamentos. O número de empregos diretos gerados pela de construção do canal chegará a 2,8 mil quando os três lotes estiverem em execução. A previsão é de que toda a obra seja concluída em 2015.
Segurança hídrica – As obras do Ramal do Agreste e da Adutora do Agreste também têm o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população do semiárido nordestino. Quando concluídas, elas ampliarão o alcance de abastecimento do ‘Projeto de Integração do Rio São Francisco’ no agreste de Pernambuco. O Ramal do Agreste levará água do reservatório de Barro Branco até o reservatório Ipojuca para a Adutora do Agreste pernambucano. A adutora garantirá água potável a mais de dois milhões de habitantes de 68 municípios.

Notícias relacionadas