menu

Brasil

11/11/2015


Segurança do IGF inclui desvio de tráfego aéreo e varredura contra explosivos

A 10ª edição do Fórum de Governança da Internet (IGF 2015), evento realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece no Centro de Convenções de João Pessoa, conta com um forte esquema de segurança para garantir a tranquilidade dos participantes. Além de varreduras diárias com esquadrão antibomba e a participação do Canil da Polícia Militar, o esquema engloba ainda os serviços da Polícia Federal e Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O tráfego aéreo em torno do evento também foi fechado e está sendo patrulhado por aeronave.

O presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapesq), Cláudio Furtado, destacou que toda a logística ligada à segurança está funcionando dentro do que foi planejado. “Todo o dia há uma checagem antibomba. Então, o Bope, juntamente com a Polícia Federal e a Abin, promove uma varredura em todos os ambientes do espaço”, confirmou.

Cláudio Furtado também disse que há restrições relativas ao uso do espaço aéreo. “Por normas da ONU, existe o contato com o controle de tráfego aéreo no Recife (PE) e é feito um desvio de rotas no entorno do Centro de Convenções”, informou.

O comandante da Companhia Especializada em Apoio ao Turista (Ceatur), capitão Onierbeth Elias de Oliveira, também falou sobre o planejamento feito pelos órgãos ligados à Segurança Pública, em especial da Polícia Militar. “Nós não temos nenhuma ocorrência relevante até então. E no que diz respeito à integração com a ONU, ela tem sido uma parceria com sincronia bastante intensa. E eles têm, inclusive, elogiado a parte de segurança do evento, tanto interna como na parte externa, que tem transcorrido tudo normalmente”, afirmou.

O capitão também falou sobre a varredura antibomba. “Uma inspeção não só com o esquadrão antibomba, com a parte de nosso canil também no intuito de detectar eventuais explosivos”, afirmou.

Outro foco da segurança do Estado, segundo lembrou capitão Onierbeth, é o monitoramento do espaço aéreo. “O grupamento tático aéreo também tem prestado um serviço que chamamos rádio patrulhamento aéreo. Ou seja, há uma vigilância, uma presença das forças policiais, das forças de segurança pública, inclusive, através da nossa aeronave”, comentou.

Secom-PB

Notícias relacionadas