menu

Brasil

01/04/2014


Senadores abrem mão de CPI da Petrobras para focar em comissão mista

NOVIDADE

Após reunião entre líderes da oposição no Senado e na Câmara, senadores decidiram nesta terça-feira (1º) abrir mão de uma CPI da Petrobras exclusiva para centrar os esforços na criação de uma comissão mista, que tem mais força política. O requerimento para criar uma comissão formada apenas por senadores já tem 29 assinaturas, duas além do número suficiente. Agora, deputados vão realizar uma força tarefa entre hoje e amanhã para coletar as assinaturas na Câmara.

Segundo o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), a mudança de estratégia se deve a um acordo para que os deputados também participem da apuração. "O que nós queremos hoje é completar as assinaturas para uma CPI mista, já que houve um entendimento na semana passada com os deputados federais. Eles desejam participar da investigação e nós consideramos importante a participação deles, por isso, estamos optando pela CPI mista", disse.

Com isso, o governo federal ganha mais tempo para se articular, uma vez que uma comissão mista, formada por deputados e senadores, não poderá ser criada antes do dia 15 de abril, que é quando está marcada a próxima sessão do Congresso Nacional. Pelo regimento, o pedido de criação de CPI precisa ser lido em plenário para dar seguimento à sua instalação, com a indicação de seus membros.
Desde que as suspeitas de irregularidades em diversos negócios da estatal vieram à tona, a oposição tem se mobilizado intensamente para apurar as denúncias e pressionar o Planalto. No entanto, ficou em evidência uma briga de egos na tentativa de assumir o protagonismo.
Na Câmara, tanto o PPS quanto o PSDB passaram a coletar assinaturas para criar uma CPI mista em requerimentos diferentes. Segundo o líder do PPS, Rubens Bueno (PR), ele já conseguiu 192 assinaturas (o mínimo são 171) para o seu pedido. No entanto, na reunião desta manhã, ficou decidido que valerá o pedido do PSDB, que possui escopo mais abrangente.
UOL

Notícias relacionadas