menu

Brasil

06/12/2016


Senadores decidem não cumprir decisão que afastou Renan Calheiros

A Mesa Diretora do Senado Federal decidiu na tarde desta terça-feira (6) que não cumprirá a decisão liminar do ministro do STF Marco Aurélio Mello de afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

Os integrantes da chamada 'tropa de choque' de Renan Calheiros querem que o plenário do Supremo Tribunal Federal decida sobre o pedido de afastamento. A matéria foi liberada pelo ministro Marco Aurélio e pode ser levada a julgamento já nesta quarta-feira (7). Mais cedo, ainda nesta terça-feira, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, garantiu que daria urgência ao assunto.

No documento assinado pelos integrantes da Mesa Diretora, são elencados 11 motivos para a recusa a aceitar a decisão liminar de Marco Aurélio. Entre os motivos estão a não notificação do Senado e de Renan sobre o afastamento do senador. Desde a noite desta segunda-feira (5), no entanto, oficiais de justiça realizaram uma série de tentativas de notificar o peemedebista, mas Renan evitou recebê-los.

A Mesa Diretora do Senado Federal decidiu na tarde desta terça-feira (6) que não cumprirá a decisão liminar do ministro do STF Marco Aurélio Mello de afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

Os integrantes da chamada 'tropa de choque' de Renan Calheiros querem que o plenário do Supremo Tribunal Federal decida sobre o pedido de afastamento. A matéria foi liberada pelo ministro Marco Aurélio e pode ser levada a julgamento já nesta quarta-feira (7). Mais cedo, ainda nesta terça-feira, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, garantiu que daria urgência ao assunto.

No documento assinado pelos integrantes da Mesa Diretora, são elencados 11 motivos para a recusa a aceitar a decisão liminar de Marco Aurélio. Entre os motivos estão a não notificação do Senado e de Renan sobre o afastamento do senador. Desde a noite desta segunda-feira (5), no entanto, oficiais de justiça realizaram uma série de tentativas de notificar o peemedebista, mas Renan evitou recebê-los.

iG

Notícias relacionadas