menu

Brasil

06/11/2013


Sergipe expõe demandas do Porto de Sergipe

Desenvolvimento

As demandas para atendimento às necessidades do Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB) – Porto de Sergipe, foram entregues à presidente Dilma Rousseff, na última sexta-feira, 1º, através da Carta de Santos. O documento foi elaborado por 17 secretários estaduais que estiveram presentes no IV Fórum Nacional de Secretários Estaduais da Indústria Naval, Portuária e Correlatas (Fonseinp), realizado nos dias 22 e 23 de Outubro, na cidade de Santos. O Estado de Sergipe esteve representado pelo assessor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) Haroldo Barros.

A Carta de Santos levou à presidente reivindicações dos estados participantes, como maior investimento nos Setores retro mencionados; o retorno do Programa de Ensino Profissional Marítimo (PREPOM); a implantação de Cursos na Especialização de Mão de Obra nos setores Naval, Portuário e Hidroviário; tornar mais célere a revisão dos contratos de arrendamento vigentes, bem como dos Processos de Licenciamento e a revisão das Poligonais dos Portos Organizados envolvendo os Estados; simplificar o processo da homologação das Batimetrias; profissionalizar a gestão das Companhias Docas, estabelecendo regime de metas e competências com autonomia e regulamentar a Praticagem com vistas ao aumento da competitividade.

De acordo com o assessor Haroldo Barros, que representou o secretário Saumíneo Nascimento no evento de elaboração da Carta, os pleitos apresentados por Sergipe foram com o objetivo de proporcionar um investimento público no setor de infraestrutura portuária. “Focamos na melhoria dos acessos rodoviários e ferroviários; recursos de dragagem; melhoramento na infraestrutura e adequação dos equipamentos portuários e obras de ampliação das instalações do terminal portuário”, explica.

O secretário Saumíneo acrescenta que o Porto de Sergipe tem um papel fundamental para o crescimento econômico do Estado e, com isso, o Governo estadual tem buscado parcerias com a Vale e a Petrobras, detentoras do Porto, para ampliação e melhor adequação às necessidades dos usuários do local. “Nós do Governo de Sergipe temos o papel de orientar as políticas de desenvolvimento do Terminal Marítimo sergipano e a união de esforços só trará benefícios para nosso Estado, principalmente quanto à atração de novos investimentos e à geração de empregos e renda para a população sergipana”, ressalta Saumíneo ao acrescentar que a Sedetec, em conjunto com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) criará um grupo permanente de acompanhamento dos assuntos portuários de Sergipe.

Notícias relacionadas