menu

Brasil

28/09/2015


Servidor lança petição contra prêmio de saneamento para Alckmin

Um abaixo assinado online que pede a revogação da indicação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), para um prêmio de saneamento em meio à crise hídrica atingiu 3 mil assinaturas no domingo (27), cinco dias após ser iniciado.

A petição foi lançada no site Avaaz pelo sociólogo Cláudio Celso Monteiro Júnior, servidor da Secretaria de Estado da Saúde e que se diz filiado ao PT desde a fundação do partido, em 1980.

O objetivo, diz Monteiro Júnior, é que as pessoas tomem conhecimento da premiação, a ser entregue a Alckmin em 13 de outubro pela Câmara dos Deputados a partir de uma sugestão do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP) aprovada pela Comissão de Desenvolvimento Urbano da Casa.

Leia também: Alckmin obtém vitória para driblar licenciamento ambiental na crise hídrica

"A gente tem de marcar posição. Pelo menos dar visibilidade de que [a premiação] não representa o que algumas pessoas mais esclarecidas de São Paulo pensam", afirma o sociólogo ao iG. "Não tenho a pretensão de reverter a indicação. A minha inteção é divulgar. As pessoas desconhecem. Muita gente me pergunta se é piada."

O governo Alckmin tem sido questionado pela forma como tem administrado a crise hídrica, que começou no início de 2014 e foi reconhecida formalmente pela gestão tucana um ano e meio depois, em agosto. O reconhecimento oficial dá ao governo argumentos para encurtar prazos para a realização de obras e serviços e para adotar ações especiais.

A necessidade de investir em obras emergenciais de fornecimento de água levou a Sabesp, companhia estadual de saneamento, a cortar investimentos na coleta e tratamento de esgoto neste ano.

Prêmio não tem relação com a crise hídrica
Perguntado, o autor da indicação de Alckmin afirma que o prêmio não tem relação com a gestão da crise hídrica.

"Nenhuma [relação]", afirma o deputado João Paulo Papa à reportagem. "Isso já foi dito tantas vezes, mas esse assunto é tão forte, o da crise hídrica, que ele cria uma confusão naquilo que foi o objetivo principal do prêmio: apontar para o País caminhos para a universalização e São Paulo tem apontado esses caminhos."

Papa, ex-superintendente da Sabesp, ressalta que o Prêmio Lucio Costa é uma homenagem relativa a saneamento, e não especificamente sobre gestão de recursos hídricos, como diz a petição de Monteiro Júnior. O deputado argumenta que o Estado São Paulo tem os melhores indicadores naquele quesito no País, e que Alckmin tem se empenhado em uma lei que desonera o setor.

Questionado sobre os cortes nos investimento em coleta e tratamento de esgoto, Papa argumenta que o governo paulista teve de priorizar o que é mais sensível à população em um momento de crise que afeta não só o Estado de São Paulo.

iG 

Notícias relacionadas