menu

Brasil

29/02/2016


Setor supermercadista apresenta alta de 7,02% em valores nominais

Em janeiro, as vendas do setor supermercadista em valores reais, deflacionadas pelo IPCA/IBGE, apresentaram queda de -19,64%, na comparação com dezembro de 2015.

No acumulado do ano, as vendas apresentaram queda de -3,38%, na comparação com o mesmo período do ano anterior (janeiro de 2015).

Em valores nominais, as vendas do setor apresentaram queda de -18,62% em relação ao mês anterior e, quando comparadas a janeiro do ano anterior, alta de 7,02%. No acumulado do ano, as vendas nominais cresceram 7,02%.

Os resultados do setor acompanham os principais indicadores de consumo de alimentos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA do mês de janeiro, apresentou variação de 1,27% e ficou 0,31 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de 0,96% registrada em dezembro. Trata-se da taxa mensal mais alta para o mês desde 2003, quando atingiu 2,25%. Com isso, a taxa dos últimos 12 meses ficou em 10,71%, acima dos 10,67% dos 12 meses imediatamente anteriores, constituindo-se no resultado mais elevado desde novembro de 2003, com registro de 11,02%. Em janeiro de 2015 a taxa foi 1,24%.

“O setor supermercadista iniciou o ano sentindo o péssimo ambiente econômico que afeta o País. Desemprego e inflação em alta, reduzindo a renda disponível do consumidor, combinado a um quadro de incertezas econômicas que impactou as vendas do autosserviço”, afirma Sussumu Honda, presidente do Conselho Consultivo da Abras. “Mas enquanto o cenário não melhora, os empresários do nosso setor continuam trabalhando para melhorar a sua eficiência, para manter seus funcionários e oferecer mix e preços competitivos ao consumidor”, complementa.

Cesta Abrasmercado

Ao mesmo tempo, neste início de ano o consumidor perde poder de compra, os preços dos alimentos, principalmente os hortifrútis, tendem a subir, devido a muitos fatores, como o clima desfavorável (chuvas em excesso ou falta de chuva), safras menores, alta do dólar, etc.

Em janeiro, a cesta de produtos *Abrasmercado, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, registrou alta de 2,99%, em relação a dezembro de 2015; e alta de 17,44, em relação a janeiro de 2015.

      Regiões


      Os indicadores da Cesta Abrasmercado mostram que os consumidores das regiões Norte e Nordeste continuam sendo os mais penalizados com o aumentos dos preços dos alimentos (+ 4,4% em janeiro deste ano, em relação ao mês de dezembro do ano passado). Veja abaixo as cestas por regiões e, também nos estados (capitais e interiores):

ABRAS
A Associação Brasileira de Supermercados integra todo o setor supermercadista no País, que hoje conta com quase 84 mil lojas em todo o território nacional. O setor, que faturou R$ 294,9 bilhões em 2014, é dos maiores empregadores do País, gerando 1,75 milhão de postos de trabalho diretos, segundo a Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho e Emprego (RAIS).

Assessoria de Imprensa

Notícias relacionadas