menu

Piauí

10/03/2017


Sílvio Mendes já enfrenta a 1ª greve de servidores da FMS

Após a Prefeitura de Teresina descontar dos trabalhadores da saúde municipal o adicional de insalubridade, eles realizaram assembleia da categoria na manhã desta sexta-feira (10/03) e deflagraram greve geral do setor por tempo indeterminado. A categoria exige a devolução dos descontos retirados.

Os laudos apresentados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), presidida por Sílvio Mendes, como justificativa para a retirada, foram fornecidos após ocupação da sede do órgão na última terça-feira (07). Os documentos foram analisados pela assessoria jurídica do Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (SINDSERM) que não encontrou conformidade legal que justificasse a retirada do direito dos servidores.

A greve que inicia já na tarde dessa sexta-feira, abrange servidores das Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centros de Assistência Psicossocial (CAPS), atendimentos de consultórios de rua, o Núcleo de Apoio ao Programa de Saúde da Família, Vigilância em Saúde, Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental e Zoonoses.

“A greve geral inclui os servidores representados pelo Sindserm. Os servidores da enfermagem estão em estado de greve e podem confirmar o movimento após reunião com o Sindicato que os representam”, explicou Paloma Vasconcelos, vice-presidente do SINDSERM.

180 Graus

Notícias relacionadas