menu

Pernambuco

07/04/2015


Sindicato quer interdição de delegacias e IMLs em Pernambuco

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) vai pedir a interdição de três delegacias e de duas unidades do Instituto de Medicina Legal. Ontem, a entidade entregou a primeira parte de um dossiê sobre a situação das delegacias e IMLs. De acordo com o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, os pedidos serão feitos ao Ministério Público e à Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária. Uma comissão do Sinpol esteve em 30 cidades e vistoriou 36 locais de trabalho entre 14 de março e 5 de abril. O chefe de Polícia Civil, Antônio Barros, disse que o estado utilizará as informações para promover melhorias.

As situações mais graves foram encontradas nas delegacias da Macaxeira, Cabo, plantão de Casa Caiada e IMLs do Recife e Petrolina. Segundo Cisneiros, foram entregues cópias do dossiê ao governo, chefe da Polícia Civil, SDS, Assembleia Legislativa e OAB. Insatisfeitos com as condições de trabalho e com a remuneração, os policiais civis iniciaram ontem a Operação Polícia Cidadã. Segundo o Sinpol, a partir de agora, todos os serviços só serão realizados conforme as normas.


Os policiais disseram que não vão sair mais sozinhos para fazer investigações, não irão registrar boletins de ocorrência se o delegado não estiver na delegacia nem vão usar coletes vencidos. “Não vamos mais fazer polícia de improviso”, ressaltou o presidente do Sinpol. Ele acrescentou que a categoria “pensa em paralisação” caso as negociações com o governo não avancem.

O delegado Antônio Barros afirmou que até ontem à noite não havia recebido o dossiê feito pelo Sinpol, mas adiantou que todas as sugestões para a melhoria da polícia seriam bem-vindas. “Tive uma conversa com o presidente do Sinpol no mês passado e disse a ele que iríamos aceitar a colaboração deles na identificação dessas unidades que precisam de atenção de forma mais urgente. Vamos juntar as informações deles com as nossas para iniciar as melhorias”, ressaltou Barros.

Ele acrescentou que o estado também tem unidades policiais que são referência para o resto do país, como o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e o Departamento de Repressão ao Crimes contra o Patrimônio.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) divulgou uma nota sobre as reivindicações da categoria. Confira o documento na íntegra:

A Secretaria de Defesa Social – SDS informa que as negociações com os Policiais Civis estão em curso, sendo presididas pela Secretaria de Administração, e que o SINPOL já foi recebido por mais de uma vez no corrente ano para apresentar suas reivindicações, as quais estão sendo analisadas considerando a atual conjuntura orçamentária e financeira do Estado.


Entre as reivindicações, foi atendido o pleito de reajuste no valor do auxílio alimentação.


Durante os últimos oito anos tomaram posse 2.911 Policiais Civis, dos 4.951 integrantes da Instituição existentes em dezembro de 2014, significando um aumento real de 13,4% no efetivo. Entre outras ações, 54 Delegacias foram reformadas, 2.997 policiais civis passaram por cursos de formação continuada e 8.961 passaram por cursos de capacitação diversos, revelando o compromisso da Secretaria de Defesa Social com a melhoria das condições de trabalho destes profissionais de segurança.


A SDS esclarece ainda, que acompanha a evolução da operação padrão que teve início hoje (06/04), acreditando no compromisso dos Policiais Civis em não criar entraves ao exercício das atribuições legais da Instituição Polícia Civil de Pernambuco e das demais instituições que formam o sistema de persecução criminal. 

 

Diario de Pernambuco

Notícias relacionadas