menu

11/02/2019


Sobe para 15 o número de mortos em ação da PM em morros do Rio

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil* Rio de Janeiro

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro vai acompanhar e dar assistência às famílias dos mortos na comunidade do Fallet, no Rio Comprido, na região central da cidade, na última sexta-feira (8). A operação do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais, tropas de elite da Polícia Militar (PM) estendeu-se a comunidades vizinhas, como Coroa e Fogueteiro, no mesmo bairro, e também ao Morro dos Prazeres, em Santa Teresa. Com dois corpos encontrados no domingo (10), subiu para 15 o número de mortos.

A mãe de uma das vítimas, Tatiana Antunes de Carvalho, esteve no Ministério Público do Rio pedindo ajuda. Tatiana disse que os rapazes foram executados e que não houve troca de tiros e que seu filho morreu a golpes de faca, sem levar nenhum tiro.

“Eles mataram todo mundo. Barbarizaram a comunidade à toa, à toa. Eles são assassinos. Não foi só o meu filho, não. Eu preciso de Justiça, meu Deus. Eles mataram meu filho de faca. Eles são covardes”, afirmou Tatiana, que é mãe de Felipe Guilherme Antunes, de 21 anos, e tia de Enzo Carvalho, também vítima da ação policial.

Com o atestado de óbito do filho na mão, Tatiana foi taxativa: “eles não pegaram o menino com nada. Não importa o que eles eram. Eles [os policiais} tinham que prender. Meu filho não tinha um tiro. Não teve trocação de tiro nenhuma. Meu filho morreu a facada. Quebraram o crânio dele, quebraram o pescoço do meu filho. Eles não têm direito de chegar na comunidade e fazer o que eles fizeram. Eles não tinham mandado nenhum para sair matando. Eu vou até o final. Não vou me calar”, desabafou Tatiana.

Ação

Após uma informação recebida pelo Disque-Denúncia, de que vários criminosos estavam escondidos em uma casa na Rua Eliseu Visconti, no Morro do Fallet, policiais do Batalhão de Choque cercaram a residência e invadiram o local. Na casa, estavam 20 jovens, alguns deles menores de idade. De acordo com a Polícia Militar, 13 foram mortos no confronto, e alguns conseguiram escapar.

Notícias relacionadas