menu

Brasil

08/03/2014


Sumiço de avião com 239 pessoas pode ser maior desastre da década

INTERNACIONAL

Funcionários dos ministérios do Exterior em Roma e Viena confirmaram neste sábado que dois cidadãos europeus cujos nomes foram divulgados na lista de passageiros do voo da Malaysia Airlines que desapareceu com 239 pessoas a bordo tiveram seus passaportes roubados na Tailândia e não estavam na aeronave. O avião desapareceu menos de uma hora depois de ter decolado de Kuala Lumpur com destino a Pequim.

O pai do do italiano disse que o passaporte do filho foi roubado há um ano e meio, durante uma viagem à Tailândia. "Ele deixou (o documento) com a agência de aluguel de carros e, quando devolveu o veículo, tinha desaparecido", afirmou Walter Maraldi. Ele afirmou que as autoridades não sabiam se o passaporte usado no voo era o que foi roubado ou uma cópia falsificada.

O pai disse que seu filho Luigi Maraldi, 37 anos, ligou da Tailândia para dizer-lhes que estava bem depois de ouvir notícias de que um italiano com o seu nome estava a bordo do avião desaparecido. "Não temos informações sobre quem poderia ter roubado o passaporte ", disse Weiss.

Notícias relacionadas