menu

Alagoas

24/11/2015


Taxa de desemprego sobe para 10,7% no estado

O número de pessoas desocupadas em Alagoas subiu um ponto percentual no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. É o que indica a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), divulgada nesta terça-feira (24). A taxa era de 9,7% entre julho e setembro de 2014 e saltou para 10,7 no mesmo intervalo de 2015. A estimativa é que 135 mil pessoas, do universo pesquisado, estavam desempregadas no estado.

A taxa alcançou 11,7% no segundo trimestre de 2015, mas fechou os três meses seguintes em recuperação. O levantamento mostra que o nível de ocupação em Alagoas era de 45,6% entre julho e setembro de 2014, estava em 43,5% entre abril e junho de 2015 e subiu um pouco para 43,8% no trimestre passado (ou 1,1 milhão de trabalhadores).

A quantidade de pessoas desocupadas em Alagoas era 125 mil no terceiro trimestre de 2014, aumentou para 148 mil no começo deste ano e caiu para 135 mil no trimestre passado.

Dos ocupados, a maior parte está empregada no setor privado e com carteira assinada ou trabalha por conta própria. Também é grande o número de empregados no setor privado sem a carteira assinada e de funcionários público. Os empregados domésticos somavam 72 mil pessoas entre julho e setembro de 2015.

O grupo maior de ocupados estava trabalhando na atividade de comércio e serviços – também na administração pública, conforme revela a pesquisa. O salário médio dos trabalhadores era de R$ 1.268, mas era maior no trimestre anterior. Os empregadores tinham a renda maior (média de R$ 4.621), seguidos dos servidores públicos (R$ 2.065) e dos empregados do setor privado com carteira assinada (R$ 1.126). Os empregados domésticos tinham o menor salário (R$ 539 em média). 

Notícias relacionadas