menu

Brasil

18/02/2015


Tesoureiro da campanha de Dilma abre as contas da campanha

No momento em que a oposição tenta vincular a presidente Dilma Rousseff às denúncias de propina da operação Lava Jato, para forçar sua saída do poder, o deputado estadual Edinho Silva (PT-SP), tesoureiro de sua campanha, desafia: “Podem vasculhar, nada será encontrado”.

Ele explica que assumiu a função quando as investigações da Lava Jato já estavam em andamento. “Assumi a tarefa da tesouraria para blindar a campanha daquele ambiente que já era ruim, essa era a minha principal tarefa. Nunca cheguei perto de absolutamente nada que tivesse vínculo com contratos da Petrobrás, ao contrário, só ouvia reclamações por conta da inadimplência que, segundo eles, afetava a saúde econômica de vários segmentos”, afirmou em entrevista ao “Estado de S. Paulo”.

Segundo ele, a presidenta Dilma “orientou explicitamente que não queria a campanha dela arrecadando em zona cinzenta”.

Edinho reconhece que “o PT vive o pior momento da sua história”. “Quem governa precisa de estabilidade e paz. Temos que urgentemente operar para acalmar o ambiente político”.
 

Notícias relacionadas