menu

Brasil

26/11/2015


Transposição do São Francisco é solução para crise hídrica na região

Na Revista NORDESTE

Por Paulo Dantas

Em decorrência dos períodos de seca e estiagem no país, principalmente no semiárido do Nordeste, o Governo Federal tem investido, na transposição do Rio São Francisco. O Projeto vai garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, os estados do Nordeste que hoje mais sofrem com a seca. A obra engloba a construção de 14 aquedutos, nove estações de bombeamento, 27 reservatórios e quatro túneis.
 
Segundo o Governo Federal, de acordo com dados de 31 de agosto, as obras estão com 78,6% de execução física, sendo 80% no Eixo Norte e 76,6% no Eixo Leste. Todos os trechos do projeto mobilizam 10.473 profissionais e 3.600 equipamentos estão em operação.

As obras do São Francisco começaram a ser entregues em outubro de 2014, com o acionamento da primeira Estação de Bombeamento do Eixo Leste (EBV-1), no município de Floresta (PE). No último dia 21 de agosto, Dilma Rousseff (PT), acionou o motor da primeira Estação de Bombeamento (EBI-1) do Eixo Norte, em Cabrobó (PE). O restante das obras será entregue a partir deste ano, com previsão final entre dezembro de 2016 e 2017.

A União ainda apoia obras estruturante para ampliação da reserva hídrica no Ceará, com Cinturão das Águas; na Paraíba, Vertente Litorânea Paraibana e Adutora Pajeú, esta última que também beneficiará o estado de Pernambuco; em Alagoas, com o Canal do Sertão Alagoano; em Pernambuco, Adutora do Agreste e a Barragem de Ingazeiras e, no Rio Grande do Norte, a Barragem de Oiticica.

 

Soluções para resolver a crise 

A crise hídrica é enfrentada com tecnologia e planos de gestão da água. Israel, China e Cingapura são exemplos mundiais com boas soluções. Abaixo quatro iniciativas apresentadas em um seminário internacional promovido pelo Ministério do Meio Ambiente. No Brasil já são utilizados dessalinizadores, em poços do Nordeste, e há projeto no Rio Grande do Norte para a construção de uma usina para dessalinizar água do mar. Outro projeto que tem dado certo é a construção de Adutoras de Montagem Rápida (AMR), que utiliza tubos de aço corten, uma liga de aço relativamente leve, com propriedades anticorrosivas, que permite a instalação sobre a superfície e com conexões de engate rápido. A adutora pode ser transferida facilmente para outra localidade em crise de água, caso esta não precise mais dessa alternativa emergencial. O Brasil ainda aposta na construção de cisternas, perfuração de poços e abastecimento via carros-pipa.


Cingapura

-Coleta de água da chuva
-Usinas de dessalinização 
-O país é considerado um polo na reutilização da água. Construiu uma forte infraestrutura para coleta da água de chuva, também usinas de dessalinização e tem combatido vazamentos. O país ainda importa água em casos extremos de falta. Há um programa que incentiva compra de produtos com etiquetas de eficiência hídrica.


Austrália

– Reservatório para reutilização de água
– Construção de usinas de dessalinização
– O país que viveu entre 1997 e 2009 o mais severo período de seca já registrado, e que entre 2013 e 2014 teve 156 recordes de temperatura. Foram investidos cerca de R$ 6 bilhões em infraestrutura, o que ajudou a combater vazamentos e a economizar água. A realizou obras para reutilizar as águas residuais que saem das casas. Depois de tratada, a água retorna para as moradias, já adaptadas para receber o líquido em uma torneira especial, que poderá ser utilizado na limpeza da casa, lavagem de roupas e outras atividades em que se consiga evitar o emprego de água potável. 

 

China

– Transposição de rios
– Criação de reservatórios
– Produtos mais eficientes
– A China desenvolveu um sistema de etiquetas para mictórios, vasos sanitários e pias que determina o grau de eficiência hídrica desses produtos. Desta forma, há o incentivo à compra de produtos que usam menos água. O governo incentivou também a criação de cisternas em várias cidades. Atualmente, há 83 mil distribuídas pela China, além de outros 4 mil reservatórios de médio e grande portes. Desde 1960, é realizada a transferência de água entre rios do Sul para o Norte, com estações de bombeamento em diversas regiões. Elas são acionadas em períodos de seca extrema, o que garante o abastecimento emergencial à população.


Israel

-Dessalinização
-Reúso da água
-Alta tecnologia
-O país desenvolveu tecnologias capazes de extrair água geadas, que é revertida para a agricultura, e 91% do esgoto é coletado e 80% dele é tratado e reutilizado para a agricultura. A técnica do sistema de irrigação por gotejamento hoje é responsável por fornecer água para 30% das lavouras do mundo. Em todo o país, há cinco plantas de dessalinização, que utilizam a água do Mar Mediterrâneo. Essas usinas geram mais de 100 milhões de m³ de água ao ano e abastecem 70% do consumo doméstico. 

 

Confira matéria sobre a seca no NORDESTE
Confira matéria sobre a seca no SUDESTE

Revista NORDESTE pode ser acessada gratuitamente em smartphones e tablets

Acesse a revista nordeste pelo seu computador clicando aqui

Notícias relacionadas