menu

Bahia

12/11/2015


Tributação de insumos tem alta e beneficia complexo em Camaçari

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) aumentou o Imposto de Importação de dois insumos industriais (ácido acrílico e polímero superabsorventes – SAP), que passaram a ser produzidos no Brasil desde a entrada em operação das três fábricas do Complexo Acrílico da Basf, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador.

O complexo, inaugurado em junho de 2015, abastece agora o mercado nacional com os dois itens usados para a produção de tintas, fraldas descartáveis, absorventes íntimos e detergentes, entre outros.

Antes, os insumos precisavam ser importados, já que não havia oferta interna. A alta do Imposto de Importação agora inibe a importação. "A ideia é garantir a viabilidade competitiva e a sustentabilidade do investimento deste empreendimento que produz polímero superabsorvente (SAP) e ácido acrílico", informa nota divulgada hoje pela Camex, referindo-se ao complexo da multinacional alemã instalado na Bahia.

A previsão da Camex é de que a medida tenha um impacto positivo de US$ 270 milhões no comércio brasileiro, já que esse era o valor das importações de ácido acrílico e polímero SAP em 2014. O ganho vem justamente da substituição das importações pela indústria nacional pelo consumo dos produtos agora fornecidos pelo complexo baiano.

A tributação do polímero SAP passou de 2% para 12% e do ácido acrílico mudou de 2% para 10%. As alterações foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 12. 

A Tarde

Notícias relacionadas