menu

Brasil

19/03/2014


Zé Ronaldo (DEM) defende união das oposições para a eleição de governador

BAHIA

Segundo homem mais poderoso do DEM no estado, o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho, defendeu, em entrevista ao Bahia Notícias, a efetivação da união das oposições para a eleição de governador este ano. Na avaliação do democrata, o coordenador do processo de escolha e gestor de Salvador, ACM Neto (DEM), deve decidir logo quem será o representante do bloco antipetista nas urnas, ou Paulo Souto (DEM) ou Geddel Vieira Lima (PMDB). "Eu acho que, evidentemente, deve ser apenas um candidato e deve-se buscar o mais rápido possível esta candidatura única. Estamos há seis meses da eleição e o final desse mês é um prazo muito bom para chegar a essa definição. Espero que cheguemos a um consenso e partamos para uma vitória", projetou. De acordo com Zé

Ronaldo, o critério prioritário para a definição deve-se basear em consultas eleitorais, tanto quantitativas quanto qualitativas. "Não existe algo mais importante no momento do que pesquisa. Todos desejam e buscam uma vitoria. Se existe algum outro instrumento para avaliar, é sentar, discutir, debater e intensificar as conversas", sugeriu. Embora democrata, o prefeito de Feira aceita uma possível vitória de Geddel no embate, desde que os números comprovem que o grupo terá mais chance de êxito com o peemedebista na cabeça da chapa. "Nesse momento, a gente não pode falar o que o coração manda. Todo mundo sabe da minha amizade fraternal com Paulo Souto, mas tenho um bom relacionamento político com Geddel. O que fala muito mais forte agora é o desejo de ganhar a eleição", pontuou.

Consultado pelo BN, o presidente do DEM baiano, o deputado estadual Paulo Azi, considerou como "boato" a informação de que o martelo teria sido batido em prol do postulante do PMDB. Ele voltou a estimar o "final do mês" para que haja o anúncio de quem será o principal opositor ao candidato do governador Jaques Wagner, Rui Costa (PT). "Vamos fazer todo o esforço para chegarmos a uma chapa de consenso. Temos que encontrar a luz para que a união ocorra de fato", ponderou. O dirigente diz ser "impossível" o lançamento de Souto como aspirante a uma cadeira na Câmara Federal.

(Bahia Notícias)

Notícias relacionadas