Brasil

Odebrecht deixa cadeia e vai para prisão domiciliar

19/12/2017


Marcelo Odebrecht (2nd L), the head of Latin America's largest engineering and construction company Odebrecht SA, and Otavio Marques Azevedo (R, background), CEO of Andrade Gutierrez, are escorted by Federal Police as they arrived at the Institute of Forensic Science in Curitiba, Brazil, June 20, 2015. Brazilian police on Friday arrested Odebrecht and accused his family-run conglomerate of spearheading a $2.1 billion bribery scheme at state-run oil firm Petrobras. Police also apprehended Azevedo, CEO of Andrade Gutierrez, Brazil's second-largest builder, as the probe into corruption at Petrobras spread to the highest level of Brazilian business. REUTERS/Rodolfo Burher

Um dos mais conhecidos réus da Lava Jato, Marcelo Odebrecht deixa a prisão nesta terça (19) para voltar à sua casa no Morumbi, bairro nobre na zona oeste de São Paulo. Da cela ao luxo, o empresário terá uma espécie de fortaleza que lhe promete garantia de privacidade e distância de curiosos, críticos e até mesmo dos próprios vizinhos.

Dois anos e meio depois –ou precisamente 914 dias– o executivo voltará ao lugar onde foi preso pela PF (Polícia Federal) para, agora, cumprir pena em regime domiciliar fechado, com o uso de tornozeleira eletrônica.

Pelo acordo firmado com o Ministério Público Federal, o empreiteiro só poderá sair de casa duas vezes nos próximos dois anos e meio, mas terá condições bem diferentes das encontradas na carceragem da PF e no CMP (Complexo Médico Penal), em Pinhais, na Grande Curitiba, onde esteve enclausurado nos últimos anos.

Em um condomínio residencial de alto padrão, Marcelo voltará a viver com conforto. Deve encontrar também calmaria, respaldado por forte esquema de segurança. Dos moradores que, em sua maioria, não querem holofotes para a volta do herdeiro da Odebrecht, o empreiteiro deve contar com discrição.

Brasil 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.