Brasil

OPINIÃO: Walter Santos decifra os desafios e expectativa sobre nova fase da SUDENE

13/12/2019


Por Walter Santos

Portal WSCOM e Revista NORDESTE

‘A esperança e desafio do resgate da SUDENE como formulador em meio à novidade politica dos governadores

Há em curso desde a quinta-feira, 12, um clima de alta expectativa em torno do futuro da SUDENE com a posse do novo superintendente Douglas Cintra e os efeitos deste fato na perspectiva do futuro do Nordeste diante de um contexto político em que os 9 governadores convivem com estratégia de ação comum, através do CONSÓRCIO Nordeste independente da instituição .

 

Detalhe: tudo acontecendo em plena comemoração de 60 anos da fundação da SUDENE em busca de fazer valer o novo Plano de Desenvolvimento Regional.

A nova fase da instituição convive com indagações e imensos desafios para verbalizar e construir um cenário real da retomada da importância estratégica da SUDENE em meio à desconfiança pelo tom conflitante assumido pelo presidente Bolsonaro na relação com governadores nordestinos em meio ao contra-ponto assumido pelo novo superintendente Douglas Cintra de que vai focar em ações pra valer na economia regional sem interferências ideológicas, pois acha ser possivel superar esse estágio.

CELSO SOBREVIVE

Nos primeiros atos da gestão recém inaugurada, o tom empregado pelo novo superintendente respaldado pelo patrono da ascensão consolidada, senador Fernando Bezerra Coelho e o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, fizeram realçar o respeito e referência do saldo de Celso Furtado como a querer resgatar a importância do Desenvolvimento Regional fruto de Juscelino Kubitscheck para ser retomado na conjuntura.

Tudo posto tem a ver ainda com a data histórica de 60 anos e na coincidência do centenário de Celso Furtado em 2020 tendo a SUDENE a difícil tarefa de executar o PRNDE com seis eixos e abordagens modernas de desenvolvimento com inovação, novo modelo de investimentos e reprocidades negociais, pois o Estado de hoje não pode tudo. Os meios tributários de incentivos são outros.

 

O PERFIL DA HORA

Douglas Cintra chega com a natureza de um agente com múltiplas habilidades, desde ser empresário reconhecido, dirigente de classe e ex-senador até estar com a difícil missão de fazer a SUDENE existir institucionalmente de fato porque os governadores encontraram outro meio, o CONSÓRCIO, em substituição ao CONDEL.

São naturezas diferentes, é verdade, mas a habilidade politica para unir essas duas pontes será determinante.

A síntese é que precisaremos identificar o tom determinante da decisão politica para fazer o PRNDE existir, recompor os governadores e a sociedade organizada.

O superintendente está decidido mas até chegar ao ideal de recomposição da importância da SUDENE haja uma distância enorme a vencer . Mas ele se sente preparado e se dispõe, o que ajuda muito.

.

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.