Brasil

OPINIÃO: Walter Santos diz que Bolsonaro comete crime de responsabilidade a exigir união pela Democracia

26/02/2020


O multimidia e analista politico avalia que o presidente da República, Jair Bolsonaro, cometeu crime de responsabilidade, como ratifica o Decano do STF, Celso de Mello, ao convocar ato contra o Congresso Nacional e o STF a exigir somatorio de todas as forças em favor da Democracia.

Eis a sintese da análise:

Ato de Bolsonaro radicaliza contra instituições e exige somatório de forças pela manutenção da Democracia Já

A manifestação via redes sociais do presidente Jair Bolsonaro fazendo coro e defendendo ato público no dia 15 de março contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal é o estopim de uma cena política extrema a exigir a união de todas as forças da sociedade brasileira em favor da manutenção da Democracia.

A atitude do presidente incide em afronta desrespeitadora e conflitante aos princípios que ele próprio jurou defender ao tomar posse no cargo e já é possível admitir remédio jurídico mais forte de abertura de processo de Impeachment.

REAÇÃO E CRIME DE RESPONSABILIDADE

O fato é que foi somente Bolsonaro consolidar o estopim contra a Democracia para diversas autoridades e lideres se manifestarem contra o presidente e a favor da Democracia, a exemplo dos ex-presidentes Lula, FHC e Dilma Rousseff. Mas, chamou a atenção o comentário do adecano do STF, Celso de Mello, considerando que houve crime de responsabilidade.

Se era isso o que ele queria para convocar levante dos seus generais, não há mais dúvida de que a sociedade precisa se mobilizar para garantir a vigência e respeito total à Constituição, se for o caso afastando-o do cargo.

RETROCESSO

Este é no processo de retomada da Democracia no Brasil o momento obscuro e de muito retrocesso não imaginado depois de 21 anos de Ditadura no país, cujo processo é conduzido por um sentimento brutal, de inspiração ideológica de ultradireita, fomentada por setores da sociedade próxima do fundamentalismo neopentecostal, se insurgindo contra as demais manifestações culturais e religiosas, pior, nutrido pela cultura miliciana a corroer instituições da importância das Polícias Civis e Militares.

Agora, diante do fato novo e grave, não há nada maior e mais urgente que não seja juntar todas as forças da sociedade brasileira para barrar este movimento/retrocesso que ameaça a Democracia brasileira.

Ditadura nunca mais!


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.