OPINIÃO: Walter Santos indaga quando João Pessoa cuidará do Centro Histórico

27/12/2019


27/12/2019


Por Walter Santos

OPINIÃO: Quando João Pessoa – governos e sociedade – vão dar rumo correto, sistêmico, econômico e inovador ao singular Centro Histórico?

Há um carma de abandono em torno do Centro Histórico de João Pessoa. Não, não me refiro a ações pontuais, localizadas e só. Trato da forma de tratamento da área mais bela da cidade que perdeu a disputa para a beira-mar e outros caminhos longe do Varadouro.

Tudo bem, o prefeito produziu a VilLa Sanhauá, o Conventinho é uma promessa, tem ainda a intervenção no Porto do Capim, etc, mas tudo isto não incorpora um planejamento vasto dialogando com a sociedade organizada para construção de um grande Plano de reengenharia econômica e ocupacional que mude de vez a vocação daquele rico ambiente.

A NOVA VOCAÇÃO ECONÔMICA COM HABITAÇÃO

Não dá mais para ignorar que o perfil dos negócios não rondam mais a Maciel Pinheiro como grande centro, porque há anos a cidade resolveu migrar para a praia e os bairros na direção da zona sul.

Agora mesmo, a Prefeitura de João Pessoa assinou em 2019 um contrato de U$ 100 milhões de dólares que poderia ter modificado o rumo do Centro Histórico por completo transformando – o em novo Polo da Inovação e da Economia Criativa pujante aquecendo todo lugar com gente, tecnologia da informação, muita cultura e dentro dela um grande Polo áudio-visual, mas não, não quis assumir o grande desafio.

FLORIPA E LISBOA: DOIS BELOS EXEMPLOS

No Brasil, Florianópolis é a principal referência de mudanças adequadas com a nova economia em curso no mundo de ajustes indispensáveis e é há tempo a principal cidade da inteligência moderna, que temos de montão na UFPB, IFPB e por preguiça e descompromisso nada fazem de mudança real, concreta, abrigando as novas gerações .

Já Lisboa, do outro lado do Atlântico, vive os efeitos do grande Boom promovido pelas Startups fazendo gigantes como a Mercedes a instalarem por lá seu Hub de Tecnologia.

O executivo português , Rui Coelho, que foi responsável pela implantação e articulação do movimento de startups em Lisboa esteve na capital João Pessoa, em 2018, observando, analisando toda a área e saiu daqui seguro de que não há outra condição apropriada para nosso Centro Histórico, que não seja com inovação, de preferência um Polo Digital e Cultura.

Deixou a cidade rouco sem nenhuma autoridade se importar com a forte advertência feita de forma voluntária.

FUTURO JÁ É AGORA

E ei que estamos à porta de 2020 onde lá vem nova disputa de poder na Capital  por grupos, partidos e lideranças, momento importante para identificar quem tem compromisso pra valer com o Centro Histórico.

Mas tem de ser de vera, de verdade e de compromissos com as futuras gerações pois já não servem paliativos circunstanciais sem mudanças de paradigmas e busca de novas vocações.

O Centro Histórico clama por atenção verdadeira e profunda. Todos são chamados à reinvenção.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.