Política

Oposição diz que vai entrar com pedido para cassar chapa Bolsonaro/Mourão após reportagem sobre gabinete do ódio

O programa Fantástico, da Globo, veiculou uma longa reportagem mostrando detalhes sobre a investigação do Facebook que derrubou páginas de assessores próximos à família Bolsonaro

03/08/2020


Na imagem o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que deve entrar com o pedido de cassação da chapa

A revelação de que a máquina de fake news do bolsonarismo, feita pelo Fantástico, funcionava dentro do Palácio do Planalto é motivo suficiente para a cassação da chapa Bolsonaro/Mourão, é o que avaliam os líderes de oposição ao governo no Congresso. “Matéria do Fantástico apresenta provas do Facebook, de que o gabinete do ódio funcionava dentro do Planalto e que as fake news foram difundidas nas eleições de 2018 por Bolsonaro. Isso caracteriza crime de responsabilidade e são provas suficientes para a cassação da chapa”, aponta o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP).

“Fake news não é liberdade de expressão. É um crime que Bolsonaro transformou em política de governo p/ viabilizar seu projeto golpista. O alvo não é a oposição, é a democracia. É urgente que a Justiça autorize a quebra dos sigilos fiscais e telefônicos desse bando”, reforçou Marcelo Freixo (Psol-RJ).

“Fantástico.Reportagem c/testemunho do diretor do Facebook aponta que Bolsonaro é o chefe da fábrica de difamação e fake news.Eduardo,Flávio, Tércio Arnaud e/assessores pagos c/$ público multiplicam mentiras.São crimes para cassar a chapa Bolsonaro/Mourão e prender estes criminosos”, disse ainda Ivan Valente (Psol-SP). Saiba mais sobre o esquema:

Sobre a reportagem

O programa Fantástico, da Globo, veiculou em sua edição da noite deste domingo (2), uma longa reportagem mostrando detalhes sobre a investigação do Facebook que derrubou páginas de assessores próximos à família Bolsonaro que são utilizadas para disseminar fake news e promover ataques contra adversários.

Durante a exibição da matéria, o programa procurou evidenciar a proximidade entre assessores que se fingiam de “jornalistas” com o presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e deputados bolsonaristas.

No dia 8 de julho, o Facebook derrubou uma rede de distribuição de fake news e perfis falsos ligada aos gabinetes de Jair Bolsonaro, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e dos deputados estaduais bolsonaristas Anderson Moraes (PSL-RJ) e Alana Passos (PSL-RJ). Todos tiveram destaque na matéria do Fantástico.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.