Pernambuco

Paulo Câmara revela economia de R$ 50 milhões no primeiro edital do Consórcio Nordeste

Grupo fechou a primeira licitação de compras conjuntas. Foram 10 itens licitados neste primeiro momento.

06/11/2019


Após reunião do colegiado, no Recife, Paulo Câmara anunciou que o resultado positivo corresponde à aquisição do lote inicial de medicamentos licitado (Foto: Heudes Regis/SEI)

Na reunião dos governadores do Consórcio Nordeste, o governador Paulo Câmara (PSB) revelou que o grupo fechou a primeira licitação de compras conjuntas. Segundo o socialista, a economia na compra de medicamentos chegou a R$ 50 milhões. Foram 10 itens licitados neste primeiro momento.

O edital previa o investimento de R$ 133 milhões na aquisição dos medicamentos, mas a empresa vencedora do certame apresentou uma proposta final no valor de R$ 118 milhões. Os preços praticados pelos Estados antes do Consórcio Nordeste poderiam chegar aos R$ 166 milhões. Os medicamentos são fórmulas restritas para uso exclusivo na rede pública, e vão abastecer farmácias de hospitais, ambulatórios e postos de saúde, que atendem uma população de mais de 57 milhões de nordestinos.

“Mostramos claramente que essa forma de gestão podem dar muito ganho de economicidade, mas principalmente da melhoria do atendimento com numa área tão importante como é a saúde no Estado”, disse Paulo, no Palácio do Campo das Princesas.

Paulo Câmara avaliou como positiva a mobilização do grupo, já que o trabalho tem rendido resultados significativos. “O Consórcio dos governadores do Nordeste tem cumprido etapas importantes. A compra de medicamentos, que traz uma economia muito importante, mostra realmente o trabalho do Consórcio. Isso mostra que essa unidade e essa forma de fazer gestão já tem surtido resultados importantes”, comentou o governador, que também falou, durante a reunião, sobre o apoio dado ao encontro dos secretários estaduais de Assistência Social da Região Nordeste. “Estão muito preocupados com a diminuição de recursos, a descontinuidade de programas sociais e a ausência de um planejamento em relação às políticas sociais do nosso País. Estamos disponibilizando essa pauta na pasta entregue aos governadores”, completa.

O governador revelou “frustração” com apenas 2 dos 4 blocos oferecidos no leilão do pré-sal. “Os recursos que viriam para estados e municípios serão na ordem de 50% a menos, frustrou nossas expectativas. Ate porque eram quatro blocos e apenas dois conseguiram êxito. Preocupa porque havia uma confiança em relação a isso, preocupa porque vamos ter que nos reprogramar. Mais na frente esperamos que esses possíveis erros sejam corrigidos”, analisou.

O vazamento de óleo no Nordeste também esteve presente na pauta dos governadores da Região. “Desde a questão de vazamento de óleo que chegaram às praias nordestinas, aos estuários dos rios nordestinos, nós fizemos um balanço de tudo que ocorreu desde o dia 2 de setembro. Já são de 5 mil toneladas de óleo que foram recolhidos em nossas praias em todo o Nordeste”, revelou.

Ainda existem questionamento, segundo o governador, o marco regulatório do saneamento que está sendo discutido no Congresso também é observado com cautela pelos governadores nordestinos. “Há muitas objeções ao projeto que a Câmara modificou que veio do Senado, isso está sendo divulgado na nossa Carta que será divulgada”, relatou.

Na reunião desta quarta também foi distribuída a Carta do Recife, relacionando o que foi discutido pelos governadores presentes. “É uma agenda de trabalho, em favor do Nordeste e, principalmente, uma agenda em favor do Brasil. Esse é o intuito dos governadores do Nordeste desde a constituição desse fórum, lá atrás, com nossos antecessores, e estamos tendo a capacidade de ampliar essas discussões, de colocar sempre na pauta e buscar realmente alternativas para o desenvolvimento das nossas regiões, para a geração de emprego e renda e para ajudar o Brasil a sair dessa situação tão crítica em que se encontra”, resumiu Paulo Câmara.

Estiveram presentes os governadores Renan Filho (Alagoas), Camilo Santana (Ceará), João Azevêdo (Paraíba), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte) e Belivaldo Chagas (Sergipe), além dos vice-governadores Carlos Brandão (Maranhão) e João Leão (Bahia). João Azevêdo ratificou que a unidade do Consórcio é importante para a Região. “Os governadores do Nordeste têm a compreensão primeiro da necessidade que tem essa Região, da necessidade de investimento, da possibilidade e das potencialidades que tem na Região e é isso que nós estamos apresentando”, afirmou o governador da Paraíba.


FolhaPE


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.