Brasil

PDT vai ao STF para impedir posse de ex-segurança de Bolsonaro no comando-geral da Polícia Federal

O partido menciona a declaração de Sérgio Moro de que Jair Bolsonaro pretende interferir politicamente na PF e o fato de Ramagem ter ligações pessoais com a família do presidente como motivos.

28/04/2020


Na imagem o presidente Jair Bolsonaro ao lado do seu ex-segurança Alexandre Ramagem

BRASIL 247 – O Partido Democrático Trabalhista (PDT) ingressou nesta terça-feira (28) com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir a posse de Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal. O partido menciona a declaração de Sérgio Moro de que Jair Bolsonaro pretende interferir politicamente na PF e o fato de Ramagem ter ligações pessoais com a família do presidente como motivos.

Alexandre Ramagem, é amigo íntimo de Carlos Bolsonaro e tornou-se cjhefe da segurança de Bolsonaro depois da facada de setembro de 2018 em Juiz de Fora, durante a campanha eleitoral.

Ao filho do presidente, é atribuída a nomeação de Ramagem para a Abin, em julho do ano passado.

A aproximação entre Carlos e Ramagem, delegado da PF desde 2005, ocorreu durante a campanha eleitoral, em 2018. Na época, o policial assumiu a coordenação da segurança de Bolsonaro após a facada sofrida pelo então candidato em Juiz de Fora (MG). Como chefe da Abin, Ramagem passou a frequentar o gabinete presidencial com frequência.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.