Política

Pimenta: entrevista de Moro foi confissão e sua suspeição precisa ser pautada

Moro disse que viu um "ringue" de boxe com Lula no interrogatório

06/07/2020


O deputado federal e líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara Federal, Paulo Pimenta, afirmou nesta segunda-feira (6) que Sérgio Moro fez uma espécie de confissão de sua parcialidade ao conduzir o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do triplex em Guarujá (SP). Moro disse que viu um “ringue” de boxe com Lula no interrogatório.

“CONFISSÃO: Em entrevista para a Globo News, no último domingo, o ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro confirmou que tratava @LulaOficial como adversário em uma luta de boxe. É urgente que o processo conduzido por Moro seja anulado por quebra de imparcialidade”, escreveu o parlamentar no Twitter.

Juristas repudiam Moro

O jurista Rafael Valim destacou a postura antiética de Sérgio Moro (Justiça), após o ex-ministro afirmar que o depoimento do ex-presidente Lula foi tomado num “ringue” de boxe. “No ringue com Lula? Então o juiz era adversário da parte?”, escreveu o jurista no Twitter.

Ex-conselheiro Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rodrigo Lago defendeu a anulação do processo do triplex em Guarujá (SP) envolvendo o ex-presidente Lula. “O STF tem que anular o processo por quebra da imparcialidade. Urgente!”, acrescentou.

A declaração de Moro reforçou a suspeita de parcialidade no processo contra Lula, condenado sem provas após acusação de ter recebido um apartamento como propina da Petrobrás. O ex-juiz também emitiu a ordem de prisão sem o esgotamento de todos os recursos judiciais.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.