Política

Polícia Federal pede prorrogação do inquérito que apura interferência de Bolsonaro no órgão

Prorrogação deve ser decidida pelo ministro Celso de Mello, mas ele está de licença da Corte por motivos de saúde

02/09/2020


Na imagem o presidente Jair Bolsonaro

A Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma nova prorrogação, por 30 dias, das investigações do inquérito que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na instituição para proteger familiares e aliados.

A abertura do inquérito foi autorizada no final de abril pelo ministro do STF, Celso de Mello, e tem como base a denúncia feita pelo ex-ministro Sergio Moro. O pedido para abertura do inquérito partiu da Procuradoria Geral da República (PGR). Bolsonaro nega ter interferido na Polícia Federal.

Esse foi inclusive um motivos que culminaram na saída do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, da pasta. Moro alegou falta de autonomia na instituição.

A prorrogação deve ser decidida pelo ministro Celso de Mello, mas ele está de licença da Corte por motivos de saúde.

Uma das medidas pendentes é o depoimento do presidente. Em junho, o procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu que Bolsonaro seja questionado sobre como prefere prestar depoimento.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.