Nordeste

Projeto de enfrentamento à Covid-19 nas grotas de Maceió é selecionado pela ONU

Lançamento aconteceu nesta sexta-feira (24). Projeto vai levantar dados da doença nas comunidades através de entrevistas por telefone

24/07/2020


Programa realizado pelo Governo de Alagoas nas grotas de Maceió foi selecionado pela ONU — Foto: Asom/Setrand

Foi lançado nesta sexta-feira (24), um projeto do Governo do Alagoas em parceria com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). Ele foi selecionado entre 56 iniciativas de todo o mundo, que participaram de uma seleção realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para financiar projetos através do Fundo Emergencial para Atividades de Apoio ao Combate à Covid-19.

O fundo emergencial disponibilizou 1 milhão de dólares para financiar os projetos selecionados, cada um deles deve receber até 100 mil dólares. Dos 56 projeto avaliados, 13 foram selecionados na África, Ásia e América Latina. No Brasil, o único selecionado foi o de Alagoas.

O projeto “COVID-19: Monitoramento e Resposta Rápida Baseada em Evidências em Assentamentos Informais de Maceió & Intercâmbio de Conhecimento com o Rio de Janeiro e Cidades Lusófonas” tem como objetivo auxiliar a gestão pública a criar e priorizar ações nas grotas de Maceió para o enfrentamento da pandemia do coronavírus, e deverá ser desenvolvido nas 100 grotas de Maceió. Ele terá a duração de 3 meses.

O projeto terá dois componentes principais. O primeiro é a produção de dados sobre a Covid-19 nas 100 grotas de Maceió, através de entrevistas aos moradores, que serão feitas através de ligações telefônicas. A primeira etapa é exploratória, e tem como meta fazer contato com 400 moradores. Nas demais, será criada uma linha de base de informação, incluindo o monitoramento buscando informação com os 100 líderes de comunidade das grotas e com 2 mil moradores selecionados pela região administrativa.

Os dados coletados servirão de embasamento para um diagnóstico sanitário e socioeconômico que auxiliará na formulação de soluções emergenciais e políticas de sustentabilidade para melhoria das condições de vida nessas localidades.

O segundo componente é a seleção de jovens que produzirão material audiovisual que será utilizado em um documentário sobre as grotas e a Covid-19, dando visibilidade as ações de enfrentamento realizadas para conscientização e difusão sobre a doença dentro e fora das comunidades.

Esses jovens terão também a oportunidade de fazer um intercâmbio virtual com líderes de favelas do Rio de Janeiro e de países da África que falam português, como Guiné Bissau, Moçambique e Angola.

O trabalho do Governo em parceria com o ONU-Habitat na capital alagoana vem sendo desenvolvido desde 2017, com o projeto ‘Vida Nova nas Grotas’ e já beneficiou os moradores de grotas com a melhoria da mobilidade urbana, intervenções nas moradias e ações sociais.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.