Política

‘Quero ser inocentado para ser candidato’, diz Lula

13/12/2017


In this March 13, 2017 photo, Brazil's former President Luiz Inacio Lula da Silva arrives for an event with rural workers in Brasilia, Brazil. Brazil's former president has denied in court on March 14, that he was part of a plot to obstruct a massive corruption probe by keeping a former executive-turned-state's evidence from revealing what he knew. (AP Photo/Eraldo Peres)

Em evento com catadores de materiais recicláveis em Brasília, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva voltou a repetir que quer ser inocentado pela Justiça para voltar a concorrer à presidência da República. “Todo santo dia fazem uma denúncia contra o Lula. Estou desafiando: me provem um pneu de bicicleta velho rasgado que eu tenha roubado. Se provarem eu venho aqui e peço desculpas. Não vou aceitar ser candidato para não poder ser preso. Quero ser inocentado para ser candidato”, disse o petista na Expocatadores.
Em um evento típico de pré-campanha, Lula criticou os que vestem camisa amarela e “gastam o dinheiro em Miami”, e culpou a classe média pelos 14 milhões de desempregados. “Prefiro os que vestem camisa vermelha e gastam o dinheiro aqui”, discursou.
Na sequência, o presidente de honra do PT mandou um recado: “Tem uma parte da imprensa que não gosta de mim e vou dizer: vou voltar e fazer muito mais do que nos últimos oito anos.”
Lula disse que o País só vai dar certo no dia em que os mais pobres forem tratados com respeito e pregou que o “bolo” precisa ser dividido de forma mais justa. “Enquanto tiver um governo cortando Orçamento, destruindo as empresas e tratando os mais pobres com desrespeito, esse País não vai dar certo”, destacou.
O petista foi recebido aos gritos de “guerreiro”, “fora, Temer” e “volta, Lula”. Quando era presidente da República, Lula costumava participar do evento de Natal com os catadores. “Se tudo tivesse bem nesse País, não precisaria discutir com o partido se vou ou não ser candidato”, afirmou.
No discurso de 15 minutos, Lula destacou que algumas pessoas que governaram o País não sabem o que é uma criança morrer de desnutrição e que, por saber isso, fez do combate à fome sua razão de vida. “Eu cada vez que encontro com vocês fico descobrindo porque uma parte da elite tem tanto ódio do Lula”, declarou.
O petista disse ter orgulho da evolução dos catadores, que tem prazer em ver filho de catador fazendo curso de medicina, e que em seu governo todos evoluíram, de banqueiros, usineiros a indústria automobilística, pois “ganharam muito dinheiro”. “Algumas pessoas não querem gostar de nós, por isso deram o golpe em Dilma”,
Diário de Pernambuco

Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.