Política

Rodrigo Maia defende teto de gastos após reunião com Bolsonaro

O encontro no Alvorada foi promovido pelo presidente Jair Bolsonaro. Participaram também os ministros Luiz Eduardo Ramos e Rogério Marinho

05/10/2020


Imagem reprodução - Foto: Gabinete Márcio Bittar

Em conversa após reunião na manhã desta segunda-feira (5) no Palácio da Alvorada, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a prioridade da Câmara é resolver a situação fiscal do país. Nesse contexto, acrescenta, será possível encontrar a solução para os recursos do programa social Renda Cidadã.

O encontro no Alvorada foi promovido pelo presidente Jair Bolsonaro. Participaram também os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), além do senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator do Orçamento de 2021 e da proposta de emenda à Constituição chamada da PEC emergencial.

A equipe de Bolsonaro e o Congresso vêm discutindo nas últimas semanas uma maneira de encontrar recursos para bancar o Renda Cidadã. O programa, uma espécie de substituto do Bolsa Família, é visto pelo governo como uma medida para evitar o agravamento da pobreza no país, diante das consequências da crise da pandemia. Bolsonaro também quer que o novo programa funcione como uma continuidade do auxílio emergencial, que vem lhe rendendo aumento de popularidade, mas termina no fim do ano.

Maia defendeu que a solução para o Renda Cidadã não pode romper o teto de gastos públicos. Para ele, esse cuidado é fundamental para manter as despesas do governo sob controle.

“A solução do Renda Cidadã tem que ser posterior à solução do teto de gastos. Isso é necessário para garantir que as despesas ficarão controladas nos próximos 24 meses. É preciso resolver os gatilhos imediatamente. Temos pouco tempo para solucionar os problemas”, alertou Maia. “Temos que unir esforços para resolver a situação fiscal do país”, completou o presidente da Câmara.

Maia falou também do encontro que terá na noite desta segunda com o ministro da Economia, Paulo Guedes. O jantar será na residência do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e foi articulado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Nos últimos dias, Maia e Guedes trocaram farpas em declarações públicas. Para o presidente da Câmara, é hora de pôr fim às “cotoveladas”.

“O presidente da Câmara e o ministro da Economia não podem ficar dando cotoveladas o tempo todo. É preciso solucionar os problemas do país”, disse Maia. Recuperado da Covid-19, ele já está trabalhando fora de casa. As informações são do G1.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.