Brasil

Sara Winter é banida do Instagram e Twitter depois de expor identidade da criança de 10 anos estuprada

Conta foi excluída depois da mesma expor o nome e outras informações da criança de 10 anos que foi vítima de estupro durante 4 anos consecutivos, por um tio

18/08/2020


Na imagem a extremista Sara Winter

BRASIL 247 – A ativista bolsonarista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, teve sua conta banida do Instagram  e Twitter perto das 23h destsa segunda-feira (17), depois de expor o nome e outras informações da criança de 10 anos  que foi vítima de estupro durante 4 anos consecutivos, por um tio.

Na internet, diversos usuários das plataformas Twitter e Instagram denunciaram, numa campanha, a ação de Sara, com objetivo de derrubar suas contas. O banimento ocorreu poucas horas depois de o grupo de hackers Anonymous Brasil publicar uma série de dados pessoais da ativista bolsonarista nas redes, incluindo número de cartão de crédito. A informação é do jornal O Globo.

A conta no Instagram da extremista já não está mais disponível. Já a conta do Twitter apresenta uma mensagem que diz que o perfil de Sara Winter foi retido no Brasil, e em todo o mundo, em resposta a uma “demanda legal”.

Na noite de domingo (16), a Defensoria Pública do Espírito Santo conseguira uma decisão liminar para que o Google Brasil, o Facebook e Twitter retirassem do ar as informações pessoais da menina de 10 anos.

Sara Giromini contraria o que preconiza o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) quando divulga a identidade de uma criança de 10 anos. O artigo 17 do Estatuto (lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990) diz que o “direito ao respeito” basicamente “consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais”.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.