Brasil

TRE apreende material de campanha de Aécio em evento religioso

Ceará

20/10/2014


O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará apreendeu neste sábado (18) material de campanha que associava o nome do candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB) à imagem de Nossa SENHORA, que era distribuído durante o evento Evangelizar é Preciso, na Praia de Iracema. A celebração católica contou com a presença de cerca de um milhão de pessoas, segundo os organizadores. A assessoria do candidato afirma que a Coligação Muda Brasil não é responsável pela distribuição.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral, foram apreendidas 20 caixas com mais de 150 mil folders “vinculando o candidato à imagem de Nossa SENHORA” e 75 camisas “com a inscrição Muda Brasil, com referência à candidatura de Aécio”.

Ainda de acordo com o órgão, os folders continham orações, e a distribuição deles se caracterizava a doação de brindes, proibida pela Lei Eleitoral. A distribuição das camisas também é proibida, alerta o TRE. Os fiscais da propaganda realizavam ação no evento e constataram as irregularidades.

Procurada pelo G1, a assessoria da campanha de Aécio Neves afirmou que a ação de distribuição de material é desconhecida pela coligação. A "apreensão de material com propaganda de nossos candidatos em templo religioso não decorreu de ato da campanha, não sendo conhecido, até este momento, a origem do fato", diz a nota.

A coligação diz ainda receber com "estranhamento" a denúncia, "pois todas as regras de confecção e distribuição de nossa propaganda eleitoral segue as exigências da legislação. Ainda, todos os responsáveis pelas campanhas eleitorais nos estados são orientados sobre as regras a serem observadas".

Até o primeiro turno das eleições, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará recebeu 1703 denúncias de propaganda eleitoral irregular. Os pedidos para averiguar propagandas irregulares podem ser feitas pelo número de telefone 148.

As pinturas em muro representam o maior número de reclamações. Há também denúncias por carros de som, propaganda em rádio, uso indevido de banners e cartazes.

 

(Do Portal 180 graus com informações do G1)


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.