Internacional

Trump acaba com tratamento especial dado a Hong Kong para atacar China; EUA podem sofrer com medida 

14/07/2020


Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que assinou uma legislação e um decreto para responsabilizar a China pela lei de segurança nacional que impôs à Hong Kong.

Em uma coletiva de imprensa nos jardins da Casa Branca, Trump disse que está encerrando o tratamento preferencial de Hong Kong como uma punição contra a China pelo que chamou de ações “opressivas” contra o povo de Hong Kong.

Nas redes sociais, Trump ainda se vangloriou de ter sido o mais presidente norte-americano mais duro contra a China. Ele ainda aproveitou para atacar seu concorrente do Partido Democrata nas eleições presidenciais deste ano, Joe Biden, ao afirmar que ele tinha boas relações com o país asiático quando era vice-presidente de Barack Obama.

Ação de Trump pode se voltar contra os EUA

A ação de Trump acaba com a relação autônoma dos Estados Unidos com Hong Kong. Os EUA, desde 1992, tem uma relação econômica e jurídica independente com a região, diferente da que é exercida com a China continental. Agora, as duas zonas serão consideradas iguais.

A medida para acabar com o tratamento preferencial já havia sido anunciada em maio, durante o processo de aprovação da lei de segurança nacional pelo Legislativo chinês. Na ocasião, o governo pró-China de Hong Kong anunciou que esta medida se voltaria também contra os Estados Unidos.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.