Política

Walter Santos: ‘até quando o presidente Bolsonaro insistirá em viver na contramão?’, diz

Publisher da Revista Nordeste, Walter Santos comenta resultado de teste para coronavírus do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020


Na imagem o publisher e analista político, Walter Santos

REVISTA NORDESTE – O anúncio oficial nesta terça-feira (7) de que o presidente Jair Bolsonaro testou positivo para Covid-19 ficará para a história pelo desleixo inconcebível e insistência indevida do negacionismo da ciência como fator de orientação de vida humana na forma pior que um líder pode oferecer.

Felizmente, ao que aparenta, o vírus de Bolsonaro não lhe leva a viver riscos de vida, ainda bem que assim do que a morte lhe visitando.

Agora, é injustificável a insistência do presidente em querer tratar a Pandemia como gripezinha, até porque no mínimo ele desfruta de tratamento hiper VIP em pleno Palácio com uma equipe médica à disposição, exames gratuitos na hora que quiser ou precisar até com ala de um hospital fechada para uso dele se necessário.

Pelo que testemunham os experts da vida brasileira, querer tratar tudo como chuvinha assim não se compara com a situação de milhares de brasileiros que não conseguem um leito na UTI.

O presidente zomba da gravidade que mata milhares de brasileiros e assim se permite ser tratado como genocida.

Como se diz no particular, o tratamento do presidente mostra a aberrante diferença entre o Presidente e os brasileiros.

Por exemplo: na Inglaterra, o premier Boris Johnson, que defendia como Bolsonaro o isolamento vertical, teve o vírus, internou-se no SUS de lá para passar a chuva.

Curou-se e passou a pedir que os ingleses ficassem em casa.

Pelo menos no Brasil o mau exemplo intui problemas psicológicos a merecer tratamento urgente, antes de muito mais mortes.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.