Brasil

Walter Santos atesta: Comitê Científico do Consórcio Nordeste gera protagonismo diferente de Dória e Wiltzel

31/03/2020


Em nova abordagem conjuntural, o multimidia, publisher e analista político Walter Santos traz um retrato atualizado do protagonismo dos governadores do Nordeste ao implantarem nesta terça-feira o Comitê Científico com Secretários de Saude dos 9 estados com presença permanente de cientistas como Miguel Nicolelis e Sérgio Rezende dialogando com o mundo científico para resolver o Coronavirus.

Tudo isso, diz ele, difere das ações de João Dória e Witzel, dois apoiadores arrependidos de Bolsonaro, pois protagonismo mesmo é com os governadores nordestinos.

Quando os governadores do Nordeste se impõem com iniciativa lúcida e referenciada diferente, por exemplo, de Dória e Witzel

Terça-feira, 31, que se despede do mapa com todo carrego possível de mês a encher o Nordeste de água em seu vasto semiárido sempre castigado de estiagem e de um saldo global a assustar ricos e pobres com um bicho virótico amedrontador deixando o Brasil afetado com as trapalhadas do presidente Jair Bolsonaro, visivelmente despreparado para liderar um País de exigências atualizadas.

Mais uma vez, o Nordeste brasileiro sai do isolamento radical e burro para mostrar com atitudes como se faz política com P maiúsculo ao deflagrar nesta terça-feira de despedidas a primeira reunião consolidando o Comitê Científico do Consórcio Nordeste com o intuito de auxiliar os governadores da região na tomada de decisão sobre as ações de enfrentamento à pandemia causada pelo Coronavírus.

Em tempos de terra plana e maus exemplos no Cerrado, ali mesmo no Planalto, o Nordeste expõe uma tática inteligente e oportuna para fugir do achismo posto que deste Comitê participam Cientistas, infectologistas nacionais e internacionais sedimentados com os gestores da Saúde de cada Estado nordestinos.

INICIATIVA ALÉM DO RECÔNCAVO

A rigor, para se fazer justiça, a iniciativa do governador Rui Costa lhe expõe antenado com visão universal dos problemas consoantes com as exigências do tempo presente porque não é todo dia que se conta com a genialidade de um Miguel Nicolélis, de Sérgio Rezende e tantos outros para dar luz e condução correta na escuridão imposta até hoje pelo vírus.

O QUE DIFERE

Quando criaram o Consórcio Nordeste como instrumento legal de encaminhamentos comuns dos Governos, certamente que a partir de então os governadores passaram a ser protagonistas e bem sintonizados com a defesa de interesses comuns apesar dos maus tratos do Capitão que, a rigor, deveria agir como presidente.

A iniciativa deu tanto certo, por exemplo, que o Consórcio se difere do ato isolado e contestador de um João Dória, em São Paulo, ou de Witzel, no Rio de Janeiro, porque na conjuntura nordestina não há espetáculo para se contrapor a Bolsonaro como apoiador arrependido querendo se cacifar no presente e futuro, pois no Nordeste tem gestor de montão qualificado e pronto até para presidir o Brasil.

É isto o que veremos de agora em diante.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.