Nordeste

Walter Santos revela realidade histórica da política em Natal e a causa da ascensão do prefeito Álvaro Dias

28/07/2020


EXCLUSIVO : Em Natal, Álvaro Dias caminha para reeleição na Prefeitura pela inanição eleitoral dos principais líderes políticos

Houve um tempo em que nada no Rio Grande do Norte, em especial Natal, se fazia se não tivesse o DNA Alves, Agripino, Wilma Maia e, mais recentemente, Fátima Bezerra. Tem mais: o ex-prefeito Carlos Eduardo. Eis que, de repente, a capital do estado passou a conviver com um anônimo transformado em candidato, hoje imbatível, na Prefeitura.

Chama-se Álvaro Dias, atual prefeito, que surfa na conjuntura diante dos atropelos alheios no trato do do novo coronavírus mas que, ao final, lhe expôs bem na fita por agregar valor à sua imagem diante de problemas registrados no processo em curso.

Álvaro Dias constrói a cada dia a imagem de um Executivo que resolve ao invés, do desastre que foi a ex-prefeita Micarla. Nem o último prefeito Carlos Eduardo faz sombra a ele e, comparando ao tamanho do PT da governadora Fátima Bezerra, ele anda léguas de distância para o segundo colocado.

Recentemente, o Instituto de Pesquisas CONSULT, ótima referência do RN no mundo das estatísticas, mostrou que ele tem 35,3% das intenções de voto contra 5.7% em favor de Kelpes Luma. Natália Benevides, do PT, aparece com 5.4% e Sandro Limentel com 3.3%.

Na disputa dos dois principais, Álvaro Farias tem 40.90% contra Kelprs com 9.80%.

RESUMO

Com a queda de prestigio de José Agripino Maia, dos Alves, Robinson Farias, Wilma, Eduardo, etc, a crise interna no PT diante do Mineiro – tudo isso, além do sumiço de Carlos Eduardo, serviu para construir a realidade soberana de Álvaro Dias.

Em tempo: o PT não soube superar as idiossincrasias internas e derrubou o ex-ascendente Mineiro, valor petista não sobrevivente.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.