Brasil

Wellington Dias quer prorrogação do estado de calamidade pública no Brasil por mais seis meses

O governador Wellington Dias, representando todos os governadores do Brasil, pediu, na quarta-feira (16), aos presidentes da República, Jair Bolsonaro, do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a prorrogação do estado de calamidade pública no Brasil por mais 180 dias, prazo em que poderá ter imunização dos brasileiros contra o novo coronavírus.

Segundo o chefe do Executivo piauiense, o estado de calamidade facilitará a manutenção da rede de auxílios e proteção, visto que os casos da Covid-19 têm crescido em muitos lugares, alguns em situação de colapso e aumento de óbitos. Wellington Dias, que é o coordenador da temática “Estratégia para vacina contra Covid-19” no Fórum Nacional de Governadores, também solicitou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a antecipação da vacinação para janeiro de 2021, que poderia ser feita por meio de aquisição de vacina do laboratório Astrazeneca, da Pfizer, e de outras do Consórcio Covax Facility.

De acordo com o governador do Piauí, 15 milhões de doses poderiam ser produzidas pela Fiocruz, 70 milhões seriam da fabricante Pfizer, além de outras 15 milhões do Instituto Butantã, que produzirá a vacina Coronavac, e seis milhões da União Química. “Tais medidas ensejariam a execução de todas as fases do processo de imunização ainda no primeiro semestre de 2021, garantindo a conclusão da primeira e da segunda fase para mais de 70% da população”, afirmou Dias. Durante a execução do Plano Nacional de Imunização, os governadores propõem várias medidas, como a implantação de uma equipe multidisciplinar em cada Unidade da Federação para acompanhar e monitorar pacientes que tivessem efeitos adversos após a vacina. “Isso poderia ser feito de modo presencial ou pela telemedicina, a exemplo do que está sendo feito por meio das ferramentas Monitora Covid e Conecta Sus”, acrescentou.

Outra ação seria a criação de limite do transporte da vacina e insumos de até 700 quilômetros, para agilizar a aplicação. O Fórum também quer o início o mais rápido possível do treinamento das equipes de vacinação sobre a aplicação e ainda o acompanhamento do paciente na primeira e segunda doses. “Eu conversei ontem com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e ele disse que está acompanhando em Brasília o desenrolar do nosso pedido”, concluiu o governador do Piauí.

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp