Brasil

Zanin: alegação de Moro para trabalhar em consultoria americana é um ‘absurdo e contradiz o histórico dele como juiz’

  1.  247 – O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, criticou a contratação do ex-ministro Sérgio Moro pela empresa de consultoria Alvarez & Marsal, responsável pela administração judicial da Odebrecht e de empreiteiras como a OAS e a Queiroz Galvão. O ex-juiz da Lava Jato receberá R$ 1,7 milhão de salário, mas o Tribunal de Ética da OAB-SP quer proibi-lo de atuar na empresa.”Moro diz agora que uma cláusula do contrato impediria um conflito de interesse, asseguraria toda a legitimidade da sua escolha. É um absurdo. E contradiz o histórico dele como juiz. Ele negou a validade de documentos apresentados por vários acusados”, afirmou Zanin à Carta Capital.”No caso do presidente Lula, contratos da OAS com a Caixa Econômica Federal que mostravam que o tríplex estava vinculado a um empréstimo do banco, e que, portanto, 100% do valor havia sido transferido à Caixa. Apresentamos documentos da própria Alvarez & Marsal que atestavam a propriedade da OAS do imóvel. Ele rejeitou essa prova. E agora quer se defender com base em uma suposta cláusula de contrato sequer apresentada”, complemento.O advogado continuou suas críticas. “Como fica a tese criada por ele na Lava Jato sobre a existência de um caixa geral que alimentava a corrupção? A Alvarez & Marsal não tem um caixa geral pelo qual passam os honorários da OAS, da Odebrecht, da Avianca, e de onde sairá seus vencimentos? Essa é a tese que condenou diversos réus, inclusive o presidente Lula. É uma teoria que não passa pelo teste da Lava Jato”, disse.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você