Paraíba

1o Presidente do PT da Paraiba escreve a Lula e recomenda defesa de palanque amplo e não exclusivo

Por Walter Santos

EXCLUSIVO – O reconhecido sindicalista Eliezer Gomes, primeiro presidente do Partido dos Trabalhadores na Paraiba, escreveu carta e revelou o teor ao Portal WSCOM, historiando as muitas lutas mas, na oportunidade de agora, apelou para que o presidenciável Lula consolide palanque amplo com o governador João Azevedo e não só com o senador Veneziano Vital.

O apelo do primeiro presidente acontece diante de informações de que Lula estará dia 4 de agosto em João Pessoa anunciando apoio a Veneziano excluindo João Azevedo.

 

Ele explícita solicitação ao presidenciavel e assessoria:

 

– Nosso apelo é no sentido de que o senhor e sua qualificada assessoria revejam o posicionamento que está sendo tomado em relação ao nosso estado. Será que a estratégia “exclusivista” adotada não é prejudicial a nossa campanha? A melhor tática não seria de unir forças e energias? Creio que sim, até mesmo porque nossos adversários são perigosos, violentos, fascistas, letais… e podem destruir de vez nosso país e a nossa tão cara Democracia, comentou.

Eis, a seguir, o documento na integra:

“Carta aberta ao Presidente Lula

Bom dia, presidente Lula.

              Escrevo-lhe da Paraíba, aqui no Nordeste brasileiro e através dessa carta gostaria de lhe fazer um apelo, apelo este, que, se atendido ou entendido será de muita importância para nós que lutamos diuturnamente pelo fim do fascismo instalado, efetivamente em nosso país, a partir de 2018 com a eleição de Bolsonaro.

              Pois bem, presidente, sou petista desde o início, quando não era fácil sê-lo, naqueles tempos difíceis de ditadura militar 1979/80, como também, nos momentos mais complicados de perseguição, quando as forças reacionárias tentaram nos destruir definitivamente. Contudo continuamos, resistimos e aqui estamos nós nessa grande corrente de esperança por um país de todos/as, como já tivemos num passado recente, desde a condição de Primeiro Presidente do PT da Paraiba até hoje na defesa do projeto que o Senhor representa.

              Dito isso, presidente, gostaria de pedir sua atenção com relação ao que acontece atualmente na Paraíba no que se refere a nossa participação política nas eleições desse ano.

              Aqui temos um governador bem avaliado, líder das pesquisas de opinião pública e consequentemente forte favorito à reeleição. Não só isso, mas, trata-se de um político coerente e comprometido com a Democracia.

Presidente, estou falando do governador João Azevedo, membro do mesmo partido do nosso vice, Geraldo Alckmin, do PSB. E como se não bastasse, João Azevedo é um fiel apoiador declarado e de primeira hora de sua candidatura à presidência da república, tendo, inclusive, deixado de consolidar uma cômoda chapa à direita para poder garantir um palanque ante bolsonarista na Paraíba fortalecendo a construção de uma possibilidade de termos de volta um governo democrático e popular edificado a partir de uma grande frente democrática que supere a simples questão partidária ou personalista, pois, já não temos mais a candidatura de um ou dois partidos políticos, mas, estamos diante de um MOVIMENTO em defesa do Brasil, que tendo-lhe como líder principal visita a clara possibilidade de resolução exitosa já no primeiro turno.

              Presidente, não consigo, assim como milhares de paraibanos, entender porque o partido, aqui, através de seu diretório, tem feito um esforço gigantesco para lhe afastar do governador João Azevedo gerando com isso uma possibilidade grande de sangria de sufrágios, o que torna-se uma questão temerária, pois, a extrema direita será a única beneficiada com isso.

              A sua vinda a Paraíba será sempre muito importante para todos os paraibanos, pois, aqui existe uma profunda gratidão por tudo que seus governos fizeram e poderão fazer em novo tempo.

              Nosso apelo é no sentido de que o senhor e sua qualificada assessoria revejam o posicionamento que está sendo tomado em relação ao nosso estado. Será que a estratégia “exclusivista” adotada não é prejudicial a nossa campanha? A melhor tática não seria de unir forças e energias? Creio que sim, até mesmo porque nossos adversários são perigosos, violentos, fascistas, letais… e podem destruir de vez nosso país e a nossa tão cara Democracia.

De qualquer modo fica aqui o meu singelo apelo: presidente, a exclusividade, nesse caso, não soma e pode até muito subtrair de nós uma possibilidade de esperança.

Que o seu abraço alcance a todos/as, nós estamos aqui para abraça-lo, sempre!

Eliezer Gomes”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp