Bahia

92 agentes são treinados para compor segurança de metrô na Bahia

Foi-se o tempo em que para atuar como agente de segurança bastava apenas um bom porte físico e resistência. Para fazer parte da equipe de segurança que trabalha nas estações de metrô e terminais de ônibus administrados pela CCR Metrô Bahia, por exemplo, além de testes de resistência e aulas onde são repassadas técnicas de imobilização e defesa pessoal, os profissionais recebem conteúdos teóricos que inclui, entre outros assuntos, condução de ocorrência e legislação.

Neste momento, 92 homens e mulheres selecionados pelo Sine Bahia estão sendo preparados para, nos próximos meses, se somarem aos 180 agentes que já atuam na segurança do metrô.

Com 552 horas de duração, as atividades são realizadas no complexo esportivo do Serviço Social da Indústria (Sesi), em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

De acordo com o gestor de atendimento da concessionária do metrô, Hamilton Trindade, as informações repassadas têm o intuito de garantir a qualidade do atendimento aos passageiros.

“São quase três meses de treinamento, que inclui ainda brigada de incêndio e atendimento pré-hospitalar para garantir socorro imediato, caso alguém precise. Todo esse intenso treinamento tem um único objetivo, que é o de garantir a prestação de um serviço público com qualidade”.

Testes de resistência ao ar livre também fazem parte da do treinamento. Um dos instrutores da capacitação, João Neto, afirmou que “o aproveitamento tem sido muito bom. O grupo está muito empenhado e aberto a aprender coisas novas”.

Mão de obra local

Todos os colaboradores contratados para a vaga de agente de segurança são da capital ou municípios vizinhos. Alguns, inclusive, moram próximo das estações de metrô.

Aos 29 anos, o soteropolitano Ailton Mercês Júnior é um dos destaques da turma e está ansioso para colocar em prática o que já aprendeu. “O treinamento é árduo, mas tem sido gratificante fazer parte desta equipe. Poder acreditar neste sonho é estar na operação e fazer isso se tornar realidade”, afirmou.

Os 180 agentes de segurança que já atuam nas estações de metrô e terminais de ônibus administrados pela CCR Metrô Bahia passam por treinamentos e avaliações periódicas.

“Realizamos o TAF, que é o Teste de Aptidão Física, a cada três meses, para garantir que eles [os agentes de segurança] estejam sempre adequadamente preparados para a atividade”, explicou Trindade.

Rotina

No treinamento, quem já conhece a rotina de trabalho compartilha experiências. Há dois anos, Flávio Counago foi contratado pela concessionária para atuar como agente de segurança. Ele esteve no treinamento dos novos profissionais e relatou um pouco da rotina da função.
“Assim que chegamos na estação, a gente coloca o fardamento, registra o ponto, se apresenta e começa a nossa responsabilidade, que é a de orientar o usuário. Caso alguém venha a passar mal, a gente também presta socorro, porque também somos preparados pelo grupo. Caso ocorra algum sinistro de incêndio, o AS [agente de segurança] também é preparado para [combater] isso. São inúmeras situações que, com certeza, estamos prontos para o que acontecer”, disse. 

Tribuna da Bahia


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você