Nordeste

A difícil e imperiosa necessidade de Lula ter palanque com Azevêdo, PT, RC, Cartaxo, Aguinaldo,etc, para garantir governabilidade

A difícil e imperiosa necessidade de Lula ter palanque com Azevêdo, PT, RC, Cartaxo, Aguinaldo,etc, para garantir governabilidade

 

Parece cenário de ficção e/ou prospecção política impossível, mas por que incrível que pareça o projeto de governo de Lula a partir de 2022 só garante governabilidade com perspectiva de avanços se ele conseguir ampliar seu palanque admitindo contextos tidos como improváveis pelos sectários.

 

É evidente que possa existir entre próximos do governador e do ex-governador quem não aceite essa fórmula difícil de se praticar, entretanto, o filing e conduta de Lula na contemporaneidade, ao invés de priorizar o retrovisor de dores profundas ele prioriza a superação com Pactos entre diferentes para conseguir resgatar as conquistas implodidas no atual governo.

 

UM LIDER SEM RANCOR

 

Desde quando deixou a prisão para onde foi sob comprovada ação do ex-juiz Sergio Moro e da PGR liderada por Dallagnol gerando o famoso Golpe nas eleições de 2018, Lula tem caminhado pelo País com uma capacidade incomum de saber superar tamanha perseguição e construir o amanhã sem ódio e com a consciência de que pode fazer o Brasil reconquistar sua soberania dialogando com diferentes.

 

Por incrível que pareça, felizmente o ex-presidente está longe de vinditas e perseguições sabendo lhe dar com adversidades pontuais onde o ódio particular não pode se sobrepor às possibilidades de conquistas coletivas.

 

O CASO DA PARAIBA

 

Aliás, na Paraiba, o cenário de 2022 projeta cenário favorável à uma ampla aliança porque o esquema político do governador já está ampliado unindo Esquerda, Centro e Direita, além do mais na disputa do próximo ano o ex-governador está inelegível, mesmo ele insistindo em dizer não.

 

Para governar bem, João Azevêdo sabe que não pode contar Bolsonaro e cia, portanto, precisa fazer o que Brizola fez com Lula “engolindo o sapo” para ver o Brasil solidário e humanista crescer. Em tempo: eles tinham propósitos comuns.

 

E nesse contexto, não adianta fomentar ranço contra Luciano Cartaxo, Aguinaldo Ribeiro, etc porque 2016 já passou e Lula, como tem feito, dialoga ampliando o palanque, portanto, os diferentes precisam começar a se preparar para abriga o outro diferente. Aliás, somente Lula é capaz de tamanha façanha.

 

Em sintese, é o que resta na Paraiba velha de guerra.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp